domingo, 26 de fevereiro de 2017

A Verdadeira Conversão

0 comentários

"Nadabe e Abiú, filhos de Arão, pegaram cada um o seu incensário, nos quais acenderam fogo, acrescentaram incenso, e trouxeram fogo profano perante o Senhor, sem que tivessem sido autorizados.Então saiu fogo da presença do Senhor e os consumiu. Morreram perante o Senhor."
(Levítico 10.1-2)

Não é o que nós achamos que temos de oferecer; não é o que nós queremos oferecer.
É o que Deus disse para ser oferecido!

Não é a minha vontade ou o que eu acho bom ou certo.
É o mandamento de Deus que deve ser obedecido!

Nadabe e Abiú morreram por fazer o que estava na mente deles, não no coração de Deus.
A Palavra diz em Êxodo 30.9, em referência ao altar de incenso: "Não oferecereis sobre ele incenso estranho, nem holocausto, nem oferta; nem tampouco derramareis sobre ele libações. "

No entanto, eles não seguiram a orientação. Para oferecer incenso, utilizaram itens que não eram aqueles orientados por Deus.
Dessa forma. eles deixaram claro que eram a sua própria lei!
Quando eu ajo conforme a minha vontade e o que eu acho bom, estou tornando-me o meu deus.

A consequência disso é certamente a morte! A morte espiritual, a morte eterna, pois não me converti ao Senhor, mas permaneço convertido a mim mesmo!

A verdadeira conversão que Deus nos chama a ter passa por desistir daquilo que considero um
caminho, para seguir O Caminho.

É largar mão das nossas incoerências e desistir de convencer os outros da nossa verdade para viver A Verdade.

Desse modo, descobriremos que aquilo que chamávamos de vida, não é nada comparável à Vida que provém dEle!

Não seja como Nadabe e Abiú, que mesmo sacerdotes, não compreenderam o propósito de Deus para as suas vidas e tentaram ter comunhão com Ele sem andar de maneira que O honrasse.

A verdadeira conversão nos transforma de dentro para fora e é resposta a um amor grandioso de Deus por nós, como o apóstolo Paulo disse aos gálatas

"Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim."
(Gálatas 2.20)

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Permanecendo em Fé

0 comentários

"O povo, ao ver que Moisés demorava a descer do monte, juntou-se ao redor de Arão e lhe disse: "Venha, faça para nós deuses que nos conduzam, pois a esse Moisés, o homem que nos tirou do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu...Todos tiraram os seus brincos de ouro e os levaram a Arão.
Ele os recebeu e os fundiu, transformando tudo num ídolo, que modelou com uma ferramenta própria, dando-lhe a forma de um bezerro. Então disseram: "Eis aí os seus deuses, ó Israel, que tiraram vocês do Egito! " " (Êxodo 32.1;3-4).

Os israelitas haviam saído há pouco tempo do Egito, chegaram ao monte Sinai e neste lugar, Deus teve um encontro com as principais autoridades do povo. Em seguida, a glória do Senhor se estabeleceu ali e Moisés foi chamado para o interior daquilo que parecia um fogo consumidor aos olhos dos israelitas que estavam no pé do monte (Veja Êxodo 24).

Moisés obedece, sobe o monte e fica ali quarenta dias e quarenta noites, recebendo orientação da parte do Senhor.

A princípio, o povo espera, porém os dias passam e alguns começam a questionar se algo poderia ter acontecido à Moisés.

- Por que essa demora? Por que ele não vem logo?
- Afinal, já estamos muito tempo parados.
- Podemos nos tornar alvo de povos inimigos!
- Deus se esqueceu de nós...
- Temos que tomar uma posição!
- Alguém tem que fazer alguma coisa!

Essas e outras discussões podem ter surgido no meio do povo até que surgiu a proposta escabrosa levada à Arão e contada em Êxodo 32.

É fácil recriminar os israelitas por conta da produção do bezerro de ouro.

Mas o que fazemos quando o nosso plano principal parece ter falhado?

Quando as coisas estão aparentemente fora de controle, temos a tendência de buscar estabelecer o nosso próprio controle sobre elas!

Não construímos literalmente bezerros de ouro, mas por vezes, se nos sentimos sozinhos, somos tentados a tomar nossas próprias decisões e fazer coisas que não são os caminhos propostos por Deus a nós, assim como os israelitas.

Nosso coração é provado nesses momentos. Quando nos sentimos sem apoio e não conseguimos ouvir ao Senhor, é hora de demonstrar que aprendemos as lições, que reconhecemos o nosso Deus e já sabemos do Seu caráter.

As circunstâncias não podem determinar as nossas atitudes, pois se for assim, certamente bezerros de ouro serão construídos!

A nossa fé no Senhor precisa determinar o caminho, para que permaneçamos fiéis, mesmo em meio a momentos de silêncio e no emaranhado de dúvidas que possam surgir.

Nas dificuldades, não construa bezerros de ouro!
Quem permanece em fé, conhece o seu Criador e por Ele, não será esquecido!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...