domingo, 11 de dezembro de 2016

Não em Palavras, mas em Poder: A Constituição do Reino de Deus

Você pode ver a segunda parte deste texto, "Não em Palavras, mas em Poder: Uma Prática de Vida Diferente", clicando aqui.

"Pois o Reino de Deus não consiste de palavras, mas de poder." (1 Coríntios 4.20)

Neste capítulo 4 de I Coríntios, o apóstolo Paulo faz uma dura repreensão aos irmãos em Corinto.
Ele diz que os irmãos gastavam muito tempo defendendo pontos de vista, dividindo-se em grupos (uns dizendo que eram de Paulo, outros de Apolo), o que os levava a discussões que endureciam os seus corações.

O Evangelho havia ganhado no meio deles um peso intelectual muito grande. As palavras tinham muita relevância. Todos buscavam mostrar-se sábios e conhecedores dos ensinamentos. No entanto, esse peso intelectual não estava trazendo edificação/crescimento  Pelo contrário, trazia enfraquecimento.

Apesar de eles estarem sempre falando a respeito do Evangelho e de assuntos paralelos a isso, as suas vidas não aparentavam ter poder de Deus. Isso ficava comprovado pela maneira como eles viviam:

I Coríntios 5.1 diz que havia fornicação no meio deles, mas não havia entristecimento pelo pecado;
I Coríntios 6 fala que os irmãos tinham questões entre si e precisavam ir perante injustos para resolvê-las.
Paulo precisou deixar claro no vers. 10 deste capítulo que os devassos, os idólatras, os adúlteros, os efeminados, os ladrões, os avarentos, os bêbados não herdarão o reino de Deus.

Porém, Paulo deixa claro que irá visitá-los e então, irá conhecer não as palavras daqueles que estão ensoberbecidos, mas o poder deles, pois o Reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder!

Quando Paulo fala isso, não significa que ele esteja desmerecendo o conhecimento.
Mas ele fala desse modo, por entender a natureza da missão de Jesus nesta terra.

Quando Jesus veio à terra, Ele veio para estabelecer o Seu Reino, com base em sua vida, sua morte e ressurreição.

E Ele fez isso acima de tudo com poder aplicado à sua prática de vida. Jesus viveu nesta terra, sem pecado e efetuando milagres. Todo o conhecimento de Jesus foi utilizado em submissão ao poder de Deus.

As reflexões de Jesus eram simples, não eram baseadas em palavras rebuscadas e discussões abstratas, meramente intelectuais. Eram suas ações cheias de poder que testemunhavam que Jesus era o Filho de Deus. E era contra as pessoas que apenas carregavam palavras (os fariseus) a quem ele se opunha.

O entendimento de Jesus foi o entendimento que Paulo capturou depois: o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder.
Aqueles que vivem apenas de palavras, estão enganados, pois não estão no reino de Deus.

O Reino de Deus é poder, que vem através de Cristo, para que possamos ter uma prática de vida diferente!

Veja a segunda parte deste texto, "Não em Palavras, mas em Poder: Uma Prática de Vida Diferente", clicando aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião, crítica ou sugestão! Ela é valiosa demais para ficar restrita somente a você!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...