domingo, 11 de dezembro de 2016

Não em Palavras, mas em Poder: Uma Prática de Vida Diferente

0 comentários
As reflexões de Jesus eram simples, não eram baseadas em palavras rebuscadas e discussões abstratas, meramente intelectuais. Eram suas ações cheias de poder que testemunhavam que Jesus era o Filho de Deus. E era contra as pessoas que apenas carregavam palavras (os fariseus) a quem ele se opunha.

O entendimento de Jesus foi o entendimento que Paulo capturou depois: o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder.
Aqueles que vivem apenas de palavras, estão enganados, pois não estão no reino de Deus.

O Reino de Deus é poder, que vem através de Cristo, para que possamos ter uma prática de vida diferente!

Leia a primeira parte deste estudo, "Não em Palavras, mas em Poder: A Constituição do Reino de Deus", clicando aqui.

O Reino de Deus é poder, que vem através de Cristo, para que possamos ter uma prática de vida diferente.
Esse poder de Deus nos capacita a:

* Viver uma vida em santificação!

"Por isso digo: vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne."
(Gálatas 5.16)

A Palavra de Deus diz que ao andar no Espírito, não satisfaremos os desejos da carne.
Só o poder de Deus, através do Seu Espírito, pode operar em nós para produzir fruto e crucificar a carne e as concupiscências.

Ao viver em um reino de palavras, os frutos da nossa carne é que prosperarão. Não evoluiremos em santificação, ficaremos estagnados em nossa vida espiritual.

Porém, quando nos colocamos debaixo do poder de Deus, somos capacitados a vencer o pecado!
E mesmo quando pecarmos, seremos convencidos do erro pelo Espírito Santo e desafiados a mudar de caminho, para andar de um modo que glorifique o Senhor.

* A ser testemunha do Evangelho! 

"Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra".
(Atos 1.8)

Uma das consequências mais claras de entender que o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder é ser testemunha do Evangelho.
A Palavra deixa claro que quando vivemos debaixo do poder de Deus, seremos testemunhas de Sua mensagem.

É sintomático ver que aqueles que levam a vida em um reino de Deus meramente intelectual, apesar de tentarem usar todo o seu poder de convencimento, dão pouco testemunho de quem Jesus é.
Isso porque suas vidas são ocas! Não há consistência em sua prática de vida!

Mas ao viver o poder do Reino de Deus, damos testemunho do Evangelho! Isso vai além de sair pregando por todo lugar que passamos, mas a prática de vida chama a atenção das pessoas para Cristo!

Precisamos do poder de Deus para viver uma vida que testemunhe sobre Jesus e Sua obra de salvação, por amor a nós!

*  A andar em autoridade!

A Palavra conta que certos homens em Éfeso ao ver o poder que havia na vida de Paulo, começaram a tentar expulsar demônios, invocando o nome do Senhor.
Eles falavam: 'Te expulso por Jesus a quem Paulo prega.' 

Eles tentaram usar as palavras para se fazer participantes do poder.
Mas o demônio deixou bem claro a eles: Eu conheço a Jesus e sei bem quem é Paulo. Mas e vocês, quem são?

Em seguida, o homem possuído partiu para cima dos sete filhos de Ceva, os espancou e rasgou as suas roupas, de modo que ficaram envergonhados. (Atos 19.13-15)

Essa situação não deve causar temor em relação aos demônios ou algo do gênero. Deve gerar temor em andar por aí apenas com as palavras de crente, com os louvores de crente na boca, mas sem uma vida cheia do poder do Senhor.

Só cheios do poder do Senhor podemos andar em autoridade para vencer os demônios, para orar pelos doentes, para ver milagres em nome de Cristo. A única maneira de andar em autoridade é vivendo um relacionamento vivo com o Senhor!

Que tipo de reino você tem vivido em sua vida?

É este reino semelhante aos coríntios, cheio de palavras, conhecimento intelectual, mas vazio do poder de Deus?

Hoje é dia de se posicionar verdadeiramente no reino de Deus, um reino de poder para uma prática de vida diferente, que honre a Cristo e testemunhe a respeito dEle!

Não em Palavras, mas em Poder: A Constituição do Reino de Deus

0 comentários
Você pode ver a segunda parte deste texto, "Não em Palavras, mas em Poder: Uma Prática de Vida Diferente", clicando aqui.

"Pois o Reino de Deus não consiste de palavras, mas de poder." (1 Coríntios 4.20)

Neste capítulo 4 de I Coríntios, o apóstolo Paulo faz uma dura repreensão aos irmãos em Corinto.
Ele diz que os irmãos gastavam muito tempo defendendo pontos de vista, dividindo-se em grupos (uns dizendo que eram de Paulo, outros de Apolo), o que os levava a discussões que endureciam os seus corações.

O Evangelho havia ganhado no meio deles um peso intelectual muito grande. As palavras tinham muita relevância. Todos buscavam mostrar-se sábios e conhecedores dos ensinamentos. No entanto, esse peso intelectual não estava trazendo edificação/crescimento  Pelo contrário, trazia enfraquecimento.

Apesar de eles estarem sempre falando a respeito do Evangelho e de assuntos paralelos a isso, as suas vidas não aparentavam ter poder de Deus. Isso ficava comprovado pela maneira como eles viviam:

I Coríntios 5.1 diz que havia fornicação no meio deles, mas não havia entristecimento pelo pecado;
I Coríntios 6 fala que os irmãos tinham questões entre si e precisavam ir perante injustos para resolvê-las.
Paulo precisou deixar claro no vers. 10 deste capítulo que os devassos, os idólatras, os adúlteros, os efeminados, os ladrões, os avarentos, os bêbados não herdarão o reino de Deus.

Porém, Paulo deixa claro que irá visitá-los e então, irá conhecer não as palavras daqueles que estão ensoberbecidos, mas o poder deles, pois o Reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder!

Quando Paulo fala isso, não significa que ele esteja desmerecendo o conhecimento.
Mas ele fala desse modo, por entender a natureza da missão de Jesus nesta terra.

Quando Jesus veio à terra, Ele veio para estabelecer o Seu Reino, com base em sua vida, sua morte e ressurreição.

E Ele fez isso acima de tudo com poder aplicado à sua prática de vida. Jesus viveu nesta terra, sem pecado e efetuando milagres. Todo o conhecimento de Jesus foi utilizado em submissão ao poder de Deus.

As reflexões de Jesus eram simples, não eram baseadas em palavras rebuscadas e discussões abstratas, meramente intelectuais. Eram suas ações cheias de poder que testemunhavam que Jesus era o Filho de Deus. E era contra as pessoas que apenas carregavam palavras (os fariseus) a quem ele se opunha.

O entendimento de Jesus foi o entendimento que Paulo capturou depois: o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder.
Aqueles que vivem apenas de palavras, estão enganados, pois não estão no reino de Deus.

O Reino de Deus é poder, que vem através de Cristo, para que possamos ter uma prática de vida diferente!

Veja a segunda parte deste texto, "Não em Palavras, mas em Poder: Uma Prática de Vida Diferente", clicando aqui.

Pregação - Princípios sobre Generosidade

0 comentários


Pregação realizada em 03/12/2016, no TEENSIBP, o ministério de adolescentes da Igreja Bíblica da Paz.

"Atire o seu pão sobre as águas, e depois de muitos dias você tornará a encontrá-lo.
Reparta o que você tem com sete, até mesmo com oito, pois você não sabe que desgraça poderá cair sobre a terra." (Eclesiastes 11.1-2)

"Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia." (Mateus 6.11)

"Pois somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras as quais de antemão, Deus preparou para que fizéssemos"  (Efésios 2.10)

"Jesus olhou e viu os ricos colocando suas contribuições nas caixas de ofertas.Viu também uma viúva pobre colocar duas pequeninas moedas de cobre. E disse: "Afirmo-lhes que esta viúva pobre colocou mais do que todos os outros.Todos esses deram do que lhes sobrava; mas ela, da sua pobreza, deu tudo o que possuía para viver". " (Lucas 21.1-4)

"Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus,que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz!" (Filipenses 2.5-8)

"...Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber". (Atos 20.35)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...