segunda-feira, 21 de julho de 2014

O deus Vaidade


Rascunhos

A vaidade
É um buraco sem fundo
Que engole o mundo
Se assim o homem deixar

Não falo apenas do conceito de beleza
Mas da vaidade em sua inteireza:
O desejo de chamar a atenção
E a si mesmo exaltar

Tudo que é concedido a este deus
Dificilmente tornará a você
E o que ele retribui,
Não o satisfará

Apenas criará no coração
O combustível
Para outra onda de sacrifício
E esperança de retribuição

Em meio a todas essas oferendas
Surgirá sempre a contenda
E pouco contento
E quando se der conta, não haverá sentimento

Só distorção!
Da imagem, dos princípios, do coração!
Esse é o prêmio de buscar a vaidade:
Ao final, encontrar-se com ela mesma e abraçar o que é vão, de tremenda inutilidade.

"Vaidade de vaidades! - diz o pregador, vaidade de vaidades! É tudo vaidade." (Eclesiastes 1.2)

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião, crítica ou sugestão! Ela é valiosa demais para ficar restrita somente a você!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...