domingo, 23 de fevereiro de 2014

Entenda qual é a sua verdadeira Pátria!

0 comentários


"E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar"
(Daniel 1.8)

Daniel era um jovem dos povos de Judá exilado na Babilônia, um império conquistador que havia recentemente vencido a batalha contra Judá.
O rei ordenou que os melhores jovens do povo fossem separados e trazidos à corte real onde participariam de um intenso processo de preparação, com duração de três anos. Os jovens passariam por uma profunda imersão na cultura babilônica e comeriam das melhores porções, as mesmas concedidas ao rei.

Daniel foi um desses jovens escolhidos. Talvez, isso pudesse ser motivo de comemoração!
No entanto, ele sabia que a maneira de viver da sua pátria, à luz dos princípios de Deus, e os valores daquele povo não conversavam entre si.

Então, decidiu em seu coração não se contaminar com os valores distorcidos da Babilônia. A começar pelos manjares, alimentos que eram oferecidos aos ídolos pagãos, antes de serem servidos à mesa.

De certo modo, essa mesma decisão precisa ser tomada por aqueles que desejam servir a Deus na atualidade. Quem conhece a Cristo sabe que a sua pátria não é terrena, mas celestial e recebe o desafio de viver conforme os valores propostos pelo Senhor (Hebreus 11.13-16).

Porém, para chegar a essa importante decisão, é relevante ver que Daniel precisou entender claramente que não pertencia à Babilônia! Não pertencia à realidade daquela nação nem tinha os mesmos princípios daquele povo. 
Somente quando nos damos conta de que este mundo não é nosso e os valores daqui não se assemelham aos do Reino, é que temos condição de rejeitar os seus manjares!

Por vezes, são colocados diante de nós os manjares do consumismo, da sensualidade sem limites, da coisificação, do dinheiro fácil, da fama deslumbrante, do poder incontestável...
Comumente, muitos cristãos têm a impressão de que essas situações não os afetam. Talvez, não dos modos que imaginam!

Mas a pornografia, a compra daquilo que é extremamente supérfluo e não tem sentido, a superexposição nas redes sociais, o tratamento das pessoas pelo que elas podem oferecer e a disputa por cargos e títulos até mesmo dentro da igreja são porções desses manjares que estão presentes na vida de muitos e contribuem do mesmo modo para nos envolver com valores distantes do propósito de Deus.

A pior face desse problema é que muitos nem percebem como estão envolvidos com princípios desagradáveis a Deus e, portanto não estão lutando por um processo de transformação; mas, cegos pelo engano do brilho deste mundo, estão correndo rumo à sua própria destruição.

O sistema da sociedade nos convence que o seu caminho é o único disponível para trilhar e que o sucesso oferecido para aqueles que "vencem" na vida é o único que merece ser almejado
Somos incentivados a focar apenas o presente, o terreno e o tangível, sem pensar nas implicações futuras e eternas dos nossos atos.

No entanto, é possível resistir a esse sistema de valores!
Daniel nos dá o exemplo: ele decidiu não participar do sistema instituído na Babilônia! Ele decidiu não se contaminar, não se envolver com os valores daquele povo.

Da mesma forma, somos chamados a não participar dos manjares que o sistema quer nos servir!
Existe outro caminho que Deus quer ensinar a trilhar; existe outro nível de sucesso que Deus reserva a Seus filhos, distante desse padrão distorcido e danoso que o mundo oferece.

É interessante ver que depois do tempo de preparação, Daniel e seus amigos estavam mais saudáveis e mais bem preparados do que os outros jovens que haviam participado desse mesmo treinamento, mas provado dos manjares (Daniel 1.15).

Isso porque o mundo força seus valores e objetivos, os exibindo como o lugar onde se deve chegar. Mas o caminho proposto pelo sistema mais machuca do que exalta; mais destrói do que constrói; mais rouba do que dá; mais descaracteriza do que exibe personalidade.

Há um caminho mais alto a trilhar, há um amor mais profundo para conhecer!
Assim como Daniel, precisamos entender quem somos e que a realidade deste sistema não é o que Deus nos chamou a viver. Isso não nos pertence! Não é o modelo de sucesso deste mundo que Ele tem para nós; isso não nos pertence!

Somos chamados a um outro estilo de vida e para experimentá-lo, é necessário permitir que Deus nos transforme por completo, através do Seu poder!

Por isso, entenda o chamado para uma pátria celestial e decida não se contaminar com este sistema!

Entenda mais este chamado a Cristo e a uma pátria celestial! Clique aqui.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Coisa louca? Parece sim!

0 comentários
Rascunhos

Sabes quem sou
Sem que palavras eu venha a dizer
Tu me conheces
Mais do que eu mesmo julgo conhecer

Nada passa aos Teus olhos despercebido
Não te iludo,
Nem ouso te compreender
És tão grande e dentro de mim, posso receber

Vem fazer morada em mim
Das ruínas do meu ser
Me faz nascer
De novo

Coisa louca? Parece sim!
Mas dessa loucura
Tu fazes surgir 
A verdadeira sabedoria

Até aqueles que estão sem esperança...
Quem diria?
Em Ti, podem se abrigar
E novamente sonhar

Basta no Filho confiar
E a Ele se entregar
Em completa rendição
E transbordante fé no coração 

Vem fazer morada em nós
Das ruínas do nosso ser
Nos fazes nascer
De novo

Coisa louca? Parece sim!
Mas daquilo que é desprezível
Tu fazes surgir 
A mais indiscutível verdade

"Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus...Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;
E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;Para que nenhuma carne se glorie perante ele." (1 Coríntios 1.18; 27-29)

"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim."
(João 14.6)

Você quer entender como nascer de novo? Clique aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...