domingo, 9 de novembro de 2014

Amar Ágape

0 comentários

Rascunhos


Quero ser sempre o ouvido para ouvir
Ter lisura para emprestar sem usura
Aconselhar como se a própria decisão fosse tomar
Investir no ministério dos que estão por vir

Quero ser generoso sem fazer contas
Ceder como quem não tem nada a perder
Honrar sem medo de perder lugar
Quero amar com amor ágape

Aquele que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
Doa-se, sem a espera de receber algo em troca.
É vulnerável, humilha-se
Mas a todos, é visível que sua luz brilha.

O caminho é o amor que leva a doar
Porque algum dia, de alguém recebeu
E como bom mordomo do que Deus lhe deu
Cabe compartilhar para a Ele exaltar.


"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."

(I Coríntios 13.4-7)

domingo, 26 de outubro de 2014

Pregação - 3 Motivos para Orar Mais!

0 comentários




Pregação realizada em 2013, na reunião do TEENSIBP, ministério de adolescentes da Igreja Bíblica da Paz/ SP.

Veja o texto dessa mensagem. Clique aqui.

"...perseverem na oração..." (Romanos 12.12)

domingo, 12 de outubro de 2014

Cidadania Espiritual, sim! E cidadania terrena, também!

0 comentários


Diversos grupos ideológicos judeus tentaram armar ciladas para pegar Jesus em algum erro que pudesse incriminá-lo perante os homens ou até mesmo diante de Deus.

Em Mateus 22.15-22, os fariseus se uniram com os herodianos para propor uma pergunta, que tinha objetivo específico: criar em Jesus a imagem de um revolucionário anarquista.

O Messias que os judeus idealizavam era alguém que fosse um libertador terreno do povo de Israel, iniciando uma era renovada para o país.
Portanto, se esse Jesus fosse de fato o Messias, pensavam eles, não poderia assumir uma posição de submissão ao César. E era justamente o que eles queriam! Pois assim, poderiam prendê-lo como alguém que pretendia iniciar uma rebelião.

Depois de bolarem todo esse plano maligno, chegaram até Jesus e fizeram a seguinte pergunta:

“ Dize-nos, pois que te parece? É lícito pagar o tributo a César, ou não?”
Mateus 22.17

Jesus percebe a malícia contida por trás da pergunta e dá uma sábia resposta.
Ele pede uma moeda ao público que acompanha a sua explicação e pergunta de quem é a imagem contida na moeda. Ao afirmarem que é a face de César, Jesus diz o tão famoso versículo:

“...Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus” (Mateus 22.21)

Mais do que dar uma resposta sábia aos fariseus e herodianos, Jesus nos ensina uma lição extremamente válida para a atualidade.

Assim como temos uma cidadania espiritual, que está ligada aos céus, temos uma cidadania terrena, conectada com os acontecimentos da nossa nação!

Vivemos tempos de muita discussão a respeito de temas políticos e do tipo de comportamento que o povo deve ter diante das principais questões envolvendo o país.
E boa parte dos cristãos assume uma postura alienada diante de tudo que se passa na sociedade!

Esse pensamento, muitas vezes, surge de um entendimento equivocado da Palavra, que parte do princípio que não somos deste mundo e a partir daí, permite ao cristão assumir uma posição indiferente aos temas da sociedade.

É certo que em João 15.19, Jesus fala que não somos deste mundo. Porém, Ele se refere ao conjunto de valores que norteia a nossa vida e não nos isenta de assumir a responsabilidade de ser participativos quanto aos direitos e deveres que estão associados à nossa jornada na terra.

Pelo contrário, Jesus faz uma afirmação imperativa (Daí a César o que é de César), indicando que devemos estar atentos às demandas da sociedade; em outra oportunidade, Jesus dá o exemplo de participação na realidade de Israel ao pagar os impostos do templo, mesmo sendo Filho do Deus Vivo (Mateus 17.24-27).

No Antigo Testamento, apesar de não haver a construção do conceito de cidadania que temos hoje, homens e mulheres de Deus influenciaram positivamente a sua sociedade, participando ativamente de questões políticas e sociais.

Como exemplos:

José – a partir da interpretação dada por Deus do sonho de Faraó, participou ativamente de um projeto capaz de viabilizar o suprimento de alimentos no período de fome que viria sobre o Egito. Foi tão bem-sucedido que o projeto acabou por suprir as necessidades básicas de outros povos, além dos egípcios;

Ester – utilizando-se de sua posição de influência como rainha, evitou o genocídio da população judia na Pérsia;

Neemias – foi usado por Deus para obter os recursos e a autorização necessárias para a reconstrução de Jerusalém, além de ser o responsável por administrar todas as obras, fato esse que abençoou todo o povo de Israel.

Em cada uma dessas histórias, sabemos da intervenção de Deus ao favorecer, direcionar, abrir caminho e suprir as necessidades para abençoar sociedades através dessas pessoas.

Do mesmo modo, o que se espera de um cristão é a participação ativa nos direitos e deveres da sociedade, nas discussões políticas e na contribuição social, trazendo a perspectiva dos valores de Deus para dentro de um mundo cada vez mais secularizado.

É certo que Deus usará as nossas vidas para abençoar essa sociedade, se estivermos atentos ao seu mover e à nossa cidadania terrena!

domingo, 14 de setembro de 2014

Cedo pra Parar, Tarde pra Desistir!

0 comentários

Rascunhos

  • Tomar a decisão de não jogar tudo para o alto;
  • Acreditar quando ninguém mais acredita;
  • Investir no improvável;
  • Agir corretamente em meio à tentação do caminho mais fácil.

Essas características parecem ser coisas óbvias aos olhos daqueles que leem as biografias de homens e mulheres que alcançaram o que pretendiam e obtiveram resultados excelentes.

Afinal de contas, estão vendo do 'futuro' que toda a luta e dificuldades passadas por essas pessoas valeram a pena!

Mas, na vida real e durante as tempestades do presente , ter a substância moral para manter integridade, a visão para valorizar o que poucos enxergam valor, a firmeza de permanecer impassível mesmo diante das dúvidas e a fé inabalável naquilo que não parece acontecer é coisa de gente que tem fibra!

Coisa de gente que entende qual é o valor de um sonho, de quem sabe o que é persistir!
Coisa de gente real, que chora e sorri, que luta e cansa, mas são diferentes: não esmorecem!

Como Jacó, que trabalhou catorze anos para o seu sogro, pelo sonho de casar com a sua amada Raquel;

Como Ester, que pelo sonho de livrar o seu povo de um terrível genocídio, correu risco de vida ao entrar na presença do rei sem ser chamada, a fim de clamar pelos seus compatriotas;

Como Neemias, que pelo sonho de restaurar os muros da cidade de Jerusalém, destruída após uma guerra, lutou contra tudo e todos para cumprir o seu propósito!

Deus nos incentiva a sonhar! Ele ama sonhos e tem prazer em abençoar aqueles que pensam além e confiam nEle.

É o que diz Provérbios 16.3:

"Confia ao SENHOR as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos."

Então, apesar das dificuldades do caminho até a realidade do seu sonho, siga em frente!
Não pare no meio do jornada!
Confie seus sonhos, sua vida a Deus e persista!

Parafraseando uma música do NXZero:

Vou muito mais longe
Se (Ele) estiver comigo
Cedo pra parar
Tarde pra desistir

Vivendo um sonho
Até torná-lo real
Cedo pra parar
Tarde pra desistir




Quando Deus anda conosco, podemos ir muito mais longe do que pensamos ser possível!

domingo, 24 de agosto de 2014

Não morra afogado no seu Desespero!

0 comentários

Uma sentença.
- 'Põe em ordem à tua casa, pois você irá morrer.' (II Reis 20.1)

Um choro amargo, misturado com um sincero clamor.
- 'Não quero morrer! Não quero morrer! Lembra-te de mim, da minha fidelidade ao Senhor!' (II Reis 20.3)

Uma resposta imediata.
"Isaías saiu do quarto em que o rei estava, mas, antes que tivesse passado pelo pátio central do palácio, o SENHOR Deus lhe disse: Volte e diga o seguinte a Ezequias, o governador do meu povo: "Eu, o SENHOR, o Deus do seu antepassado Davi, escutei a sua oração e vi as suas lágrimas. Eu vou curá-lo, e daqui a três dias você irá até o Templo." (II Reis 20.4-5)

Existem momentos da vida onde recebemos sentenças cruéis: é a doença sem cura, a demissão repentina, a surpresa do adultério, a quebra de um relacionamento no qual haviam muitos sonhos envolvidos.
Verdadeiras 'sentenças de morte' para diversas áreas da vida! Deixam terra arrasada por onde passam; findam a esperança, a paz, os sonhos e para alguns, até a fé.

Confrontados com situações tão drásticas, às vezes apenas derramamos nosso choro amargo na cama quente e acabamos com o coração endurecido pela mágoa de receber aquilo que 'não merecemos'.
Perdemos a fé no Deus que tudo pode; passamos a correr atrás daqueles que nunca puderam nos ajudar, tentando uma solução que surja de nossas próprias mãos.
Nos desesperamos, a vida perde sentido, a angústia ataca como um predador esfomeado.
Perdemos a noção do destino de tanta correria, mas corremos para fugir, para buscar alívio, para não pensar no mundo que ruiu.

O rei Ezequias fez algo diferente!
Mesmo consumido pela tristeza da má notícia, ele encontrou forças para em um último suspiro de confiança, colocar-se diante de Deus em um clamor suplicante!
Mesmo chorando amargamente a sentença de morte que recebera, reuniu suas poucas forças para colocar o resto de esperança que tinha nas mãos de Deus.

E diante disso, recebeu uma resposta imediata! Deus ouviu o seu clamor, respondeu o seu pedido e ele pôde encontrar o alívio que tanto procurava!

Assim pode ser com você também!
Ouse entregar nas mãos de Deus as más notícias, deixe que Ele seja o seu refúgio na hora da aflição, mesmo quando não for fácil entender o fato de tudo isso ter acontecido justo com você!

Faça dEle a Sua esperança em meio às dores mais intensas, corra em direção aos Seus braços capazes de consolar toda dor e creia, creia com todo o seu ser, que Ele é capaz de transformar qualquer situação, por mais debilitante e limitadora que seja, em algo novo e bom.

Não morra afogado no seu desespero! Existe um Deus misericordioso, amoroso e poderoso capaz de intervir na sua história e transformá-la completamente!

Conheça mais sobre esse Deus e a salvação revelada em seu Filho. Clique aqui!

terça-feira, 5 de agosto de 2014

A Canção do Coração

0 comentários
Rascunhos

Na busca da canção
Certa a cantar
E o tom mais afinado
Escolher

Em meio aos instrumentos
Estou a pensar
Qual é o louvor
Que queres escutar?

Por acaso seria
Uma bela sinfonia
Ou um arranjo de cordas
E um dueto de vozes a soar?

Talvez seja
O excelente som de alguma igreja
Mesmo com um pop rock
A ministrar?

Diante dessa divagação,
A doce voz do Pai me trouxe essa explicação:

'Meu filho, não tenho predileção
Por ritmo, banda ou afinação
O que me importa de verdade
É a Tua intenção!

Não cante para sua exaltação
Nem no esforço de reforçar a própria excelência
Mas que o louvor seja cantado em comunhão,
Com sinceridade, amor e reverência.

Se faltarem instrumentos, faça com as palmas
A melodia para acompanhar;
Se faltar sistema de som, que a multidão de vozes
Ecoe bem alto para todos escutarem

E se houver tudo isso
Que não falte o principal:
Um contrito e quebrantado coração
Que dá o tom certo a qualquer canção!'

"Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás." (Salmo 51.17)

terça-feira, 29 de julho de 2014

O Forte Guerreiro

0 comentários

"Mas o Senhor está comigo, como um forte guerreiro! Portanto, aqueles que me perseguem tropeçarão e não prevalecerão. O seu fracasso lhes trará completa vergonha; a sua desonra jamais será esquecida." (Jeremias 20.11)

O profeta Jeremias passava por momentos de muita dificuldade. Por conta de sua obediência em profetizar a ira de Deus sobre as autoridades e o povo de Israel, foi colocado preso ao tronco pelo sacerdote Pasur.

Justo o homem que deveria ouvir a Deus e se unir a Jeremias na pregação de chamamento ao arrependimento era aquele que o estava prendendo!

Quantas vezes na vida não passamos por injustiças assim?
Estamos fazendo o que é correto, obedecendo a Deus e seguindo o que é bom, porém pessoas e circunstâncias se levantam em oposição!

Tantas vezes são pessoas que nunca esperaríamos que assim fizessem ou então, obstáculos que acreditávamos não poderem surgir!

É normal sentir certo abatimento diante deste cenário e Jeremias também se entristeceu!
No entanto, em meio a este cenário relativamente injusto e de tribulação, ele decidiu firmar-se em Deus!

Temos conosco o Senhor, forte guerreiro!

Será que você consegue ter em mente o que isso significa?

Este forte guerreiro NUNCA perdeu uma batalha; em Suas mãos, estão todo o domínio e poder; nEle encontramos a perfeita justiça; nada pode abalá-lo, confrontá-lo ou vencê-lo!

E Ele está conosco! 

Podemos descansar no fato de que Ele fará justiça! Basta se abrigar em Seus braços!

Não foi prometido que ao seguir a Deus, passaríamos por este mundo sem problemas e dificuldades...Pelo contrário!
Jesus diz claramente: "...No mundo, tereis aflições..."
Mas Ele completa a frase: "...mas tende bom ânimo; eu venci o mundo!" (João 16.33)

O Forte Guerreiro venceu! E nos fará vitoriosos também, se permanecermos nele a despeito das tristezas, dificuldades e tribulações!

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O deus Vaidade

0 comentários

Rascunhos

A vaidade
É um buraco sem fundo
Que engole o mundo
Se assim o homem deixar

Não falo apenas do conceito de beleza
Mas da vaidade em sua inteireza:
O desejo de chamar a atenção
E a si mesmo exaltar

Tudo que é concedido a este deus
Dificilmente tornará a você
E o que ele retribui,
Não o satisfará

Apenas criará no coração
O combustível
Para outra onda de sacrifício
E esperança de retribuição

Em meio a todas essas oferendas
Surgirá sempre a contenda
E pouco contento
E quando se der conta, não haverá sentimento

Só distorção!
Da imagem, dos princípios, do coração!
Esse é o prêmio de buscar a vaidade:
Ao final, encontrar-se com ela mesma e abraçar o que é vão, de tremenda inutilidade.

"Vaidade de vaidades! - diz o pregador, vaidade de vaidades! É tudo vaidade." (Eclesiastes 1.2)

sábado, 21 de junho de 2014

Declaração de Amor

0 comentários

Vivemos tempos onde o calor da emoção e o sentimentalismo ganharam espaço.
Somos incentivados a declarar amor, mas nem sabemos exatamente o que é isso!
É fácil falar.
Difícil é provar, ter substância moral para sustentar uma declaração de amor.

No relacionamento com Deus, somos tentados a declarar amor, com muitas poesias e floreios.
Porém, Jesus já estabeleceu um parâmetro capaz de permitir que demonstremos amor por Ele.

Jesus, em meio a um dos seus últimos momentos com os discípulos antes da crucificação, disse:

"Se me amais, guardareis os meus mandamentos."
(João 14.15)

Em meio a essa frase simples, surge um compromisso complicado para o qual o Senhor nos desafia!

A maior declaração de amor que Deus espera de nós não está associada a uma mera construção de palavras; Deus nos chama a uma declaração de amor prática!

Uma declaração de amor que envolve alterar todo um conjunto de costumes, pensamentos e intenções. É um firme comprometimento, uma aliança estabelecida com o Pai e o Filho.

Na verdade, essa declaração de amor também é parâmetro para definir aqueles que estão com Ele e O conhecem.

Diz o apóstolo João:

"Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.
Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele.  Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou."
(1 João 2.4-6)

Por isso que andar com Jesus é mais que uma religião; é nascer de novo para uma nova vida (2 Coríntios 5.17), onde ao entender que Deus nos ama de tal maneira que entregou o Seu Filho para morrer em nosso lugar, pagando o preço de nossos pecados (João 3.16), respondemos a este amor, vivendo a vida dEle em nós, sendo transformados conforme à Sua imagem, pela ação do Espírito Santo (2 Coríntios 3.18).

Portanto, mais do que declarar palavras ao vento, faça da sua vida uma declaração de amor a Cristo!
Viva para a glória dEle, para louvor do Seu nome, através da fé na vitória da cruz que Ele obteve por você!

Você quer entender mais sobre o sacrifício e ressurreição de Jesus por você? Clique aqui.


domingo, 8 de junho de 2014

Segundo o Teu Coração

0 comentários
Rascunhos

Continuarei
A te seguir
Prosseguirei 
Em te conhecer

Andar em Tuas pegadas, Mestre
É o que quero fazer
Sonhar todos Teus sonhos, Senhor
Cumprir o Teu querer

Às vezes
Quero asas para voar longe 
E me esconder
Daquilo que o mal tenta oferecer

Mas Tu fortaleces minha vida
E sustenta o meu ser
Tuas mãos apoiam,
Tua voz me orienta

No meu interior,
Brota uma nova canção
Que chegue ao Senhor 
Em forma de oração

Vem e modifica,
Molda todo meu ser
Com Tua palavra, 
Corrige o meu viver

Eu quero ser segundo o Teu coração,
Tua imagem refletir
Agir como Tu,
Ser fiel até o fim

Eu quero ser segundo o Teu coração,
Glorificar-te 
É o meu querer,
O meu maior prazer


"Conheçamos o Senhor; esforcemo-nos por conhecê-lo. Tão certo como nasce o sol, ele aparecerá; virá para nós como as chuvas de inverno, como as chuvas de primavera que regam a terra" (Oséias 6.3)






quinta-feira, 8 de maio de 2014

Você tem certeza da Salvação?

0 comentários

Mesmo entre aqueles que cresceram na igreja, é comum ver pessoas com incertezas a respeito de sua salvação pessoal.

- Será que sou salvo? 
- Será que perdi a salvação por algo de errado que fiz?

Essas são dúvidas costumeiras na mente de muitos e atrapalham grandemente o desenvolvimento espiritual saudável na fé e conhecimento da obra de Cristo.

Vamos conversar sobre dois entendimentos simples, porém essenciais para encher o coração de qualquer pessoa a respeito da certeza de sua salvação em Jesus.

1 – A salvação é um presente!

É comum termos um entendimento errado de como a salvação se dá.
Somos levados a acreditar que temos uma responsabilidade maior do que a real no processo de salvação e por vezes, carregamos pesos demasiadamente grandes que nos atrapalham na compreensão correta do tamanho da misericórdia de Deus a nosso respeito.

O jovem Martinho Lutero, usado por Deus para dar início à Reforma Protestante, tinha essa dificuldade de compreender o presente que Deus nos concede na salvação.

A sua biografia conta que, no início da vida cristã, Lutero se esforçava em realizar boas obras, em oração e até mesmo em auto-flagelação, a fim de agradar a Deus e merecer a salvação. Porém, isso o levava a uma consciência ainda maior de seus pecados. Essa pressão sobre seus ombros crescia constantemente ate que foi levado por Deus a entender a passagem que diz: “O justo viverá pela fé” (Romanos 1.17).
A partir daí, os seus olhos se abriram para compreender o grande e imerecido presente concedido pelo Senhor e as disciplinas espirituais que antes fazia para tentar merecer a salvação, passaram a ser feitas por amor a Deus e por conta da Sua grande obra de salvação!

Esse é o mesmo entendimento que precisamos obter da Palavra de Deus!

“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus;não por obras, para que ninguém se glorie.”
(Efésios 2.8-9)

A salvação de Deus é um presente; nos é dada pela graça do Senhor.Jesus, através do Seu mais que suficiente sacrifício e ressurreição, pela obra do Espírito Santo que nos convence do pecado, da justiça e do juízo para que creiamos e confessemos o Seu senhorio!

Ela não é obtida por nosso merecimento ou por boas obras que tenhamos feito! Somente através da fé naquilo que Cristo fez por nós!

O entendimento da salvação como um presente dado por Deus nos ajuda a andar mais confiantes diante do Senhor! Não andamos mais vacilantes na incerteza dos nossos atos, temendo perder a salvação em cada erro, mas na firme confiança de que Deus proveu para si o Cordeiro que nos perdoa e nos redime através do Seu sangue.

Você recebeu a salvação como presente de Deus ou ela é um peso que você carrega, como se dependesse da sua performance?

Deus, em Sua misericórdia, fez um caminho para nós até Ele, através de Seu Filho! Receba em fé esse presente generoso do Senhor!

2 - A graça que nos é concedida para salvação nos leva a perseverar em santificação!

“Que diremos então? Continuaremos pecando para que a graça aumente?De maneira nenhuma! Nós, os que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele?Ou vocês não sabem que todos nós, que fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados em sua morte?Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova.” (Romanos 6.1-4)

Não é porque a salvação é pela graça, por meio da fé e independente das obras, que podemos então viver de modo libertino, seguindo os desejos da nossa carne e continuando em um caminho de pecado, totalmente desagradável a Deus.

Quando recebemos salvação da parte do Senhor, morremos para a nossa antiga vida!
Os desejos da nossa carne não podem mais nos dominar e começamos uma nova vida, de acordo com a direção do Espírito e buscando agradá-lo em todas as nossas atitudes.
Ele nos capacita a perseverar no processo de santificação, mesmo diante das lutas e dificuldades que enfrentaremos na mortificação do velho homem.

Se entendemos que a salvação é um presente e perseveramos em buscar santificação nas nossas vidas, este é um bom sinal de que podemos ter certeza da salvação que Deus nos dá!

Muitas pessoas têm estado enganadas no entendimento da Palavra e acreditam que estão salvas pelo simples fato de convidarem Jesus para morar em Seu coração, sem manter nenhum tipo de comprometimento de obediência com a vontade de Deus!

Porém, não é assim! A graça de Deus continua a operar em nós, de modo que começamos a andar nas obras que Ele criou para que andássemos , não como pré-requisito para a salvação, mas como o fruto da transformação de vida que aconteceu conosco!

"Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que nós as praticássemos."
(Efésios 2.10)

A graça de Deus continua operando na sua vida para transformação das suas atitudes ou você vive de modo libertino, sem temor do Senhor?

Se você tem entendido que a salvação é um presente dado por Deus através de Jesus Cristo, concedido pela graça, obtido pela fé e prossegue no caminho da santificação e mortificação do velho homem, pode descansar na confiança da salvação proporcionada pelo Senhor.

“Ora, é Deus que faz que nós e vocês permaneçamos firmes em Cristo. Ele nos ungiu,
nos selou como sua propriedade e pôs o seu Espírito em nossos corações como garantia do que está por vir.” (2 Coríntios 1.21-22)

Conheça mais sobre o sacrifício de Jesus Cristo por você! Clique aqui.

domingo, 27 de abril de 2014

Fuja da Precipitação!

0 comentários

"Tu, porém, descerás antes de mim a Gilgal, e eis que eu descerei a ti, para sacrificar holocaustos, e para oferecer ofertas pacíficas; ali sete dias esperarás, até que eu venha a ti, e te declare o que hás de fazer."

1 Samuel 10.8

Assim que foi consagrado, Saul recebeu algumas orientações por parte do profeta Samuel, sendo uma delas, aguardar por Samuel em Gilgal durante sete dias para a realização de um sacrifício de paz antes de sair à guerra.

E no segundo ano do seu reinado, Saul vê-se na situação que havia sido profetizada.
No entanto, o cenário de guerra estava difícil: os soldados, à espera de uma ordem, estavam com medo e fugiam. E nada do profeta Samuel aparecer!
O sétimo dia já havia chegado! Cadê ele?
Com medo de perder todo o exército, o rei Saul toma uma decisão precipitada: ele mesmo faz o sacrifício de paz para depois sair à guerra.
Mas logo após a realização do sacrifício, o profeta Samuel chega e questiona severamente a decisão do rei.
Mais do que isso, declara que por conta daquela decisão precipitada, Saul haveria de perder o reino.
Deus já havia achado alguém segundo o Seu coração, algo que Saul apresentou não ter (I Samuel 13.1-15).

A história do rei Saul nos conta sobre um homem que poderia ter trilhado um caminho memorável, de conquistas e vitórias em Deus, mas que por meio de inúmeros equívocos, acabou seguindo o rumo inverso.

E o maior erro do rei Saul foi ter sido precipitado.

Do mesmo modo que Saul, estamos sujeitos a tomar decisões precipitadas constantemente.
Seja ao iniciar um relacionamento amoroso, sem conhecer adequadamente a outra pessoa;na troca de emprego, analisando friamente valores monetários e não pedindo conselho ao Senhor;  na aquisição de algum bem por impulso e em tantas outras situações, somos levados a agir de maneira precipitada.

Por vezes,a  precipitação tem a intenção de nos acelerar, de agilizar o processo, mas na verdade, nos atrasa. A precipitação nos tira do centro da vontade de Deus!

Um dos maiores vilões geradores da precipitação é a ansiedade.
A ansiedade nos impulsiona a tomar decisões sem analisar corretamente todo o cenário.

No entanto, diante desse contexto que nos conduz à ansiedade e precipitação, recebemos o seguinte conselho de Deus:

"Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus" (Filipenses 4.6)

O apóstolo Paulo diz que não devemos andar ansiosos!
Mas devemos apresentar em oração, todos os nossos pedidos a Deus!

Ou seja, se está sobrando ansiedade, está faltando oração!

Quando você derrama o seu coração em oração diante de Deus,  a ansiedade não te domina mais, você recebe direção do Senhor e não age precipitadamente, mas passa a andar em dependência dEle!
E como filhos do Pai, este é o melhor lugar que podemos estar!

Portanto, não seja precipitado!
Não permita que a ansiedade te domine! Deleite-se no Senhor, entregue-se a Ele, confie, viva em dependência!
Ele irá te guiar até as melhores decisões, àquilo que está no coração dEle para a sua vida.

terça-feira, 25 de março de 2014

3 Motivos para Orar mais!

0 comentários

Ouça a ministração deste texto, clique aqui!

"Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração"
(Romanos 12.12)

A partir do versículo 9 deste capítulo, o apóstolo Paulo dá diversas orientações práticas.
Dentre essas, ele incentiva: perseverai na oração!

Perseverar na disciplina da oração é uma dificuldade enfrentada ao longo dos tempos por muitos cristãos, mas de maneira bastante intensa pela nossa geração! Temos dificuldade de orar!

Tantas coisas disputam nossa atenção; muitas prioridades, tão pouco tempo, além do receio de se “comportar mal” e não dizer as “palavras corretas”...
Essas e muitas outras situações se acumulam para nos afastar dessa prática.

Sabemos bem da importância da oração e não é o objetivo do texto ressaltar isso; quero te lembrar 3 motivos que devem nos levar a orar mais do que temos orado.

1. Preciso perseverar em oração, porque é desse modo que irei receber as respostas de Deus!

Em Lucas 18.1-8, Jesus compartilha conosco a parábola da viúva persistente, justamente para nos lembrar da importância de orar sempre e nunca desfalecer.

Havia em certa cidade um juiz que não respeitava nem a Deus e nem aos homens. Uma viúva chegou diante deste cumpridor da lei clamando por justiça contra um adversário. A princípio, o juiz não deu ouvidos às solicitações da mulher. Porém, ela não se deu por vencida: continuamente, clamava por justiça e aquele homem, vencido pelo cansaço, acabou julgando o caso daquela viúva.

Por tanto insistir, a viúva obteve solução por parte daquele mau juiz!

Semelhante a isso, acontece conosco! A diferença é que nós oramos a um bom Deus e Jesus diz que depressa Ele virá e fará justiça! (Lucas 18.8)

Em Daniel 9, o profeta Daniel clama a Deus pedindo perdão pelas atitudes de seu povo e a Bíblia diz nos versículos 21-23 que Daniel ainda falava em oração quando o anjo Gabriel chegou para trazer-lhe respostas.

Por meio dessas duas passagens, podemos entender que há um tipo de oração que Deus responde!
Em Daniel 9.2-3, vemos que ele clamou com base no entendimento que obteve das Escrituras:

"No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, compreendi pelas Escrituras, conforme a palavra do Senhor dada ao profeta Jeremias, que a desolação de Jerusalém iria durar setenta anos.
Por isso me voltei para o Senhor Deus com orações e súplicas, em jejum, em pano de saco e coberto de cinza."

Em Lucas 18.3, a viúva clamava por justiça:

"Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário."

Ou seja, receberemos respostas de Deus perseverando em oração, quando clamamos por motivos justos, de acordo com a Palavra de Deus!

Em Tiago 4.3, o irmão do Senhor diz o seguinte: "Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.”

Mas é certo que ao perseverarmos em oração, de acordo com a direção das promessas de Deus, receberemos resposta para o motivo de nosso clamor!

2. Preciso perseverar em oração, porque desse modo posso abençoar outras pessoas!

Tiago 5.16 diz que a oração do justo pode muito em seus efeitos! E nesse mesmo versículo, somos desafiados a orar uns pelos outros.

Por vezes, tão focados em nós mesmos, só oramos sobre nossos projetos, necessidades e interesses.

Deus nos desafia a interceder por aqueles que estão ao nosso redor; a nos compadecermos de suas dores, a comprarmos os seus sonhos e orarmos por isso também!

Através da sua vida e simples oração, Deus pode intervir para abençoar a vida daqueles que estão ao seu redor!

3. Preciso perseverar em oração, porque orar é estar na companhia de Deus.

Clemente de Alexandria, um dos pais da Igreja, que viveu entre o século II e III, disse essa frase: “Orar é estar na companhia de Deus”.

E se há um motivo pelo qual devemos perseverar em oração, é porque assim dialogamos com o Senhor e crescemos em nossa intimidade com Ele.

Muitos argumentam: “Deus sabe de tudo! Não preciso orar”.
E é fato! Ele realmente sabe! Mas somos nós que precisamos da oração.

Na oração, revelamos a dependência dEle; a fome pela Sua presença; alinhamos o coração à Sua vontade; confessamos os nossos erros e clamamos por perdão.

É por isso que o apóstolo Paulo exorta em I Tessalonicenses 5.17: “Orai sem cessar”

Não podemos ficar longe da companhia de nosso Pai!

Que esses simples motivos nos despertem e encorajem a assumir o compromisso de dedicar mais tempo à oração! Façamos desse momento um tempo nobre de comunhão com o nosso Deus, crendo que Ele nos ouve e responde!

quarta-feira, 12 de março de 2014

Correndo, correndo, correndo...

0 comentários

Rascunhos

Correndo, correndo, correndo
Desenfreadamente
Buscando, comprando, querendo
Sentir a alegria, prazer transcendente

Correndo, correndo, correndo
Loucamente
O que tu persegues?
Ou será que és perseguido dentro de tua mente?

Correndo, correndo, correndo
Insaciavelmente
Poupando, juntando, guardando
Para provável deleite de algum parente

Correndo, correndo, correndo
Cegamente
Sacrificando o eterno
Em troca do obsolescente

Para onde essa correria irá levar?
Chegarás no fim da vida a festejar
O quão tolamente 
Foi capaz de a gastar?

Que as fugazes riquezas da vida
E o torpor da correria da lida
Não te façam perder de vista 
O valor daquilo que é etéreo

"Então Jesus lhes disse: Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens.
Então lhes contou esta parábola: A terra de certo homem rico produziu muito bem.
Ele pensou consigo mesmo: ‘O que vou fazer? Não tenho onde armazenar minha colheita’.
Então disse: ‘Já sei o que vou fazer. Vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores, e ali guardarei toda a minha safra e todos os meus bens.
E direi a mim mesmo: Você tem grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e alegre-se’.
Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou? ’
Assim acontece com quem guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus".
(Lucas 12.15-21)

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Entenda qual é a sua verdadeira Pátria!

0 comentários


"E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar"
(Daniel 1.8)

Daniel era um jovem dos povos de Judá exilado na Babilônia, um império conquistador que havia recentemente vencido a batalha contra Judá.
O rei ordenou que os melhores jovens do povo fossem separados e trazidos à corte real onde participariam de um intenso processo de preparação, com duração de três anos. Os jovens passariam por uma profunda imersão na cultura babilônica e comeriam das melhores porções, as mesmas concedidas ao rei.

Daniel foi um desses jovens escolhidos. Talvez, isso pudesse ser motivo de comemoração!
No entanto, ele sabia que a maneira de viver da sua pátria, à luz dos princípios de Deus, e os valores daquele povo não conversavam entre si.

Então, decidiu em seu coração não se contaminar com os valores distorcidos da Babilônia. A começar pelos manjares, alimentos que eram oferecidos aos ídolos pagãos, antes de serem servidos à mesa.

De certo modo, essa mesma decisão precisa ser tomada por aqueles que desejam servir a Deus na atualidade. Quem conhece a Cristo sabe que a sua pátria não é terrena, mas celestial e recebe o desafio de viver conforme os valores propostos pelo Senhor (Hebreus 11.13-16).

Porém, para chegar a essa importante decisão, é relevante ver que Daniel precisou entender claramente que não pertencia à Babilônia! Não pertencia à realidade daquela nação nem tinha os mesmos princípios daquele povo. 
Somente quando nos damos conta de que este mundo não é nosso e os valores daqui não se assemelham aos do Reino, é que temos condição de rejeitar os seus manjares!

Por vezes, são colocados diante de nós os manjares do consumismo, da sensualidade sem limites, da coisificação, do dinheiro fácil, da fama deslumbrante, do poder incontestável...
Comumente, muitos cristãos têm a impressão de que essas situações não os afetam. Talvez, não dos modos que imaginam!

Mas a pornografia, a compra daquilo que é extremamente supérfluo e não tem sentido, a superexposição nas redes sociais, o tratamento das pessoas pelo que elas podem oferecer e a disputa por cargos e títulos até mesmo dentro da igreja são porções desses manjares que estão presentes na vida de muitos e contribuem do mesmo modo para nos envolver com valores distantes do propósito de Deus.

A pior face desse problema é que muitos nem percebem como estão envolvidos com princípios desagradáveis a Deus e, portanto não estão lutando por um processo de transformação; mas, cegos pelo engano do brilho deste mundo, estão correndo rumo à sua própria destruição.

O sistema da sociedade nos convence que o seu caminho é o único disponível para trilhar e que o sucesso oferecido para aqueles que "vencem" na vida é o único que merece ser almejado
Somos incentivados a focar apenas o presente, o terreno e o tangível, sem pensar nas implicações futuras e eternas dos nossos atos.

No entanto, é possível resistir a esse sistema de valores!
Daniel nos dá o exemplo: ele decidiu não participar do sistema instituído na Babilônia! Ele decidiu não se contaminar, não se envolver com os valores daquele povo.

Da mesma forma, somos chamados a não participar dos manjares que o sistema quer nos servir!
Existe outro caminho que Deus quer ensinar a trilhar; existe outro nível de sucesso que Deus reserva a Seus filhos, distante desse padrão distorcido e danoso que o mundo oferece.

É interessante ver que depois do tempo de preparação, Daniel e seus amigos estavam mais saudáveis e mais bem preparados do que os outros jovens que haviam participado desse mesmo treinamento, mas provado dos manjares (Daniel 1.15).

Isso porque o mundo força seus valores e objetivos, os exibindo como o lugar onde se deve chegar. Mas o caminho proposto pelo sistema mais machuca do que exalta; mais destrói do que constrói; mais rouba do que dá; mais descaracteriza do que exibe personalidade.

Há um caminho mais alto a trilhar, há um amor mais profundo para conhecer!
Assim como Daniel, precisamos entender quem somos e que a realidade deste sistema não é o que Deus nos chamou a viver. Isso não nos pertence! Não é o modelo de sucesso deste mundo que Ele tem para nós; isso não nos pertence!

Somos chamados a um outro estilo de vida e para experimentá-lo, é necessário permitir que Deus nos transforme por completo, através do Seu poder!

Por isso, entenda o chamado para uma pátria celestial e decida não se contaminar com este sistema!

Entenda mais este chamado a Cristo e a uma pátria celestial! Clique aqui.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Coisa louca? Parece sim!

0 comentários
Rascunhos

Sabes quem sou
Sem que palavras eu venha a dizer
Tu me conheces
Mais do que eu mesmo julgo conhecer

Nada passa aos Teus olhos despercebido
Não te iludo,
Nem ouso te compreender
És tão grande e dentro de mim, posso receber

Vem fazer morada em mim
Das ruínas do meu ser
Me faz nascer
De novo

Coisa louca? Parece sim!
Mas dessa loucura
Tu fazes surgir 
A verdadeira sabedoria

Até aqueles que estão sem esperança...
Quem diria?
Em Ti, podem se abrigar
E novamente sonhar

Basta no Filho confiar
E a Ele se entregar
Em completa rendição
E transbordante fé no coração 

Vem fazer morada em nós
Das ruínas do nosso ser
Nos fazes nascer
De novo

Coisa louca? Parece sim!
Mas daquilo que é desprezível
Tu fazes surgir 
A mais indiscutível verdade

"Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus...Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;
E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;Para que nenhuma carne se glorie perante ele." (1 Coríntios 1.18; 27-29)

"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim."
(João 14.6)

Você quer entender como nascer de novo? Clique aqui.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A Missão Oculta

0 comentários

“E fazem todas as obras a fim de serem vistos pelos homens; pois trazem largos filactérios, e alargam as franjas das suas vestes,
E amam os primeiros lugares nas ceias e as primeiras cadeiras nas sinagogas,
E as saudações nas praças, e o serem chamados pelos homens; Rabi, Rabi.”
Mateus 23.5-7

Deus tem nos chamado para fazer a Sua obra.
Estar disposto a ser usado para realizar os sonhos que Ele tem compartilhado conosco é um desafio imenso!
Com certeza, esse desafio motiva a cada um de nós!

Mas será que essa é a nossa exclusiva motivação ? Será que existem outras motivações que nos levam a fazer tudo aquilo que fazemos?

O que nos tira do lugar onde estamos e nos motiva a agir, em todas as situações do dia-dia?

Certamente, você tem outras motivações pessoais que te levam a servir no Reino e dependendo de como essas intenções forem, podem levar você para bem longe do chamado de Deus.

Foi isso que aconteceu com os fariseus.
Eles também eram chamados por Deus para a obra e  procuraram fazê-la.
Mas a motivação dos seus corações se corrompeu: ao invés de agirem para que Deus fosse glorificado, eles começaram a buscar glória e honra para si mesmos.
Isso os levou ao distanciamento do chamado que o Senhor havia proposto em seus corações!

É preciso tomar cuidado com a “missão ou motivação oculta” que existe dentro de nós.

Esse propósito é a mistura da missão que Deus propõe às nossas mágoas e ego. Este é o caminho que trilharemos sem o auxílio de Deus.
Esta missão oculta não é nada digna, na verdade, é obscura, egoísta e indigna.

A princípio, parece não afetar o cumprimento do nosso chamado mas, à medida que damos vazão a esta missão, saímos do propósito de Deus e nos aproximamos do caminho dos fariseus.

O apóstolo Paulo em Filipenses 3.14 indica com seu próprio exemplo o que devemos fazer:  “Prosseguir para o alvo”.

Não qualquer alvo, mas aquele proposto por Cristo a nós!

Para não perder o foco do nosso alvo, precisamos identificar qual é a missão oculta em nossos corações a fim de não dar vazão a ela sem perceber.

A Bíblia demonstra claramente a história de pessoas que viveram o confronto com a sua missão oculta e venceram:

Ester tinha uma missão clara: salvar o povo de Israel do extermínio.
E havia também uma missão oculta em seu coração: acostumar-se com toda a riqueza do reino persa e se acomodar em sua posição confortável.
Ela fez a escolha pela missão que agradava a Deus!

Jesus  poderia ter dado vazão a uma missão oculta durante a sua vida: ser um rei terreno, chefe de um vasto império. Ele teve oportunidades para isso (Mateus 4.8-10; João 6.14-15), porém decidiu seguir o chamado de Deus para que tivéssemos uma nova vida.

Talvez a sua missão oculta seja uma busca por reconhecimento humano, ou obter algum tipo de favorecimento e poder para utilizar a fim de satisfazer seus próprios desejos.
Não importa qual seja a sua missão oculta, o importante é que você a identifique e a coloque diante de Deus. Não dê vazão a ela!
Decida-se por cumprir todo o chamado de Deus para a sua vida, da maneira como Ele sonhou.

Deus não te chamou para errar o alvo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...