quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Independência ou Morte!?


No dia de 7 de setembro, o Brasil recorda uma das datas mais importantes de sua História: a Independência.

Em 1822, Dom Pedro I juntamente com sua comitiva, estava às margens do rio Ipiranga para bradar uma das frases mais lembradas da História do Brasil: "Independência ou Morte!". A partir daí, o Brasil tornou-se um império separado do português e começou a traçar sozinho sua história. Resumidamente, é assim que os livros de História ensinam, apesar desse relato ser atualmente bastante questionado por certos historiadores.

Bem, isso não vem ao caso, pois não é exatamente sobre História do Brasil que quero tratar.

Quero me apropriar dessa frase dita por D. Pedro I para descrever o estado atual da sociedade em que vivemos. Estamos inseridos em um tempo onde o  inconsciente coletivo brada "Independência ou Morte!".

Somos desafiados a cada vez mais rápido alcançar a independência financeira; cada vez mais novos, passamos a buscar independência familiar para tomar as atitudes que passam por nossa cabeça sem prestar contas a ninguém; independência profissional também tem sido muito buscada, para fugir da obediência necessária quando se está dentro de um organograma empresarial.

Além destas, existe uma outra independência que a sociedade tem incentivado em alta voz: a independência de Deus.

O conceito que lentamente tem se formado na mente coletiva brasileira é de que não há necessidade de Deus. Uns veem as condições econômicas melhorando com certa constância e se acomodam, trocando a fé pela ilusória calma proveniente do acúmulo de bens materiais; outros, com olhares céticos e intelectuais, analisam o Cristianismo como sendo um grande instrumento de manobra de um povo iletrado e diante disso, zombam das Boas-Novas que "enganam" os menos sábios; alguns, por conta de decepções e tragédias que enfrentaram em sua vida, passaram a desacreditar da existência de um Deus que não interveio quando eles, segundo seu próprio entendimento, mais precisavam.

Essas dentre tantas outras razões, fazem crescer constantemente o número de pessoas adeptas deste discurso de 'independência de Deus', que leva pessoas a perderem a fé e se afastarem do Criador.

Contudo, não existe verdadeira vida fora de Jesus Cristo.
A Bíblia fala em Colossenses 1.16-17:


"Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.
E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. "


Esse estágio de frieza espiritual que tem conduzido vidas para longe de Cristo, as levará em última instância à morte eterna, pois não há nada que subsista fora da presença de Deus.

A pretensa vida em "independência de Deus" se resume a nada mais do que uma vida na mais profunda escravidão que o pecado impõe, resultando em uma morte eterna, destinada a todos aqueles que não reconhecem em Cristo o Seu Salvador e Senhor.

O apóstolo Paulo diz isso em Romanos 6.23:
"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor." 

Se queremos ser livres, temos de buscar a Verdade que está contida em Jesus Cristo!

"Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. "
( João 8.36 )


Se a independência profissional, financeira e familiar é até certo ponto aceitável ou desejável,  não há como ter vida plena de verdade independente de Deus!


Se queremos ter uma vida livre de todas as condenações, ao invés de buscarmos a independência de Deus, devemos nos render e assumir que somos completamente dependentes dEle!

Você quer reconhecer a sua dependência de Cristo? Clique aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião, crítica ou sugestão! Ela é valiosa demais para ficar restrita somente a você!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...