segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Quando os meios tornam-se os Fins

1 comentários
O povo de Israel vivia um momento confuso nos dias do profeta Jeremias.

Era um povo que honrava a Deus com seus lábios, mas mantinha afastado o seu coração de uma verdadeira comunhão com Deus.

De tal modo que o próprio Deus desafia o profeta Jeremias: "Dai voltas às ruas de Jerusalém, e vede agora; e informai-vos, e buscai pelas suas praças, a ver se achais alguém, ou se há homem que pratique a justiça ou busque a verdade; e eu lhe perdoarei. E ainda que digam: Vive o SENHOR, de certo falsamente juram." ( Jeremias 5.1-2 )

Ou seja, o povo de Israel tinha adquirido uma superstição, um costume, uma religião e não possuía mais um relacionamento verdadeiro e íntimo com o Senhor! E isso se mostrava claramente nos comportamentos que aquele povo tinha.

Dentre as diversas características que denotavam a apostasia do povo de Israel, quero ressaltar nesse texto algo em específico e bastante perigoso que dá um sinal importante de transformação negativa no nosso relacionamento com Deus: quando os meios tornam-se os fins!
O povo de Israel não se arrependia mais dos seus erros e não conseguia ouvir a Deus, conforme diz a Palavra em Jeremias 6.10,15 .

No entanto, este mesmo povo que não desejava mais estar na presença de Deus, que não queria mais ouvir a Sua voz e nem se importava com a integridade do seu coração, permanecia oferecendo sacrifícios e holocaustos ao Senhor, como se isso fosse a parte principal da sua intimidade com Deus!

A tal ponto que Deus repreendeu o povo de Israel em Jeremias 7.21-22: "Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Ajuntai os vossos holocaustos aos vossos sacrifícios, e comei carne. Porque nunca falei a vossos pais, no dia em que os tirei da terra do Egito, nem lhes ordenei coisa alguma acerca de holocaustos ou sacrifícios. Mas isto lhes ordenei, dizendo: Dai ouvidos à minha voz, e eu serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo; e andai em todo o caminho que eu vos mandar, para que vos vá bem."

Israel estava trocando as prioridades no seu relacionamento com Deus! Ao invés de utilizar os holocaustos e sacríficios (meios) para cultivar a capacidade de ouvir a Deus e ter intimidade com Ele (objetivo final), o povo de Israel oferecia os sacrifícios como se eles tivessem um fim em si mesmo! Como se os próprios sacríficios fossem o objetivo que eles teriam de alcançar para agradar a Deus.

Eles olhavam os sacríficios e holocaustos como a representação da sua comunhão com o Senhor, mas Deus queria mais do que isso! O Senhor não queria apenas um ato religioso, mas queria desenvolver um relacionamento profundo de intimidade, de obediência. Esse sim era o propósito final de Deus para o relacionamento com Israel!

E esse é o propósito que o Senhor tem para o nosso relacionamento com Ele também! Mas, nós comumente fazemos como Israel fez: colocamos "holocaustos e sacríficios", que deveriam ser meios para nos levar ao objetivo de estar mais perto de Deus, como se estes fossem o propósito final para o qual Deus nos chamou!

Por vezes, colocamos o ministério como objetivo do nosso relacionamento com Deus e tudo que fazemos no Senhor gira em torno do serviço que Ele nos confiou: buscamos a presença de Deus para servir melhor e se for necessário, renunciamos tempo de oração e leitura da Palavra para servir ao Senhor. As coisas evoluem de tal modo que não é mais Deus que motiva a nossa busca por mais intimidade. É o ministério que nos leva a isso!

Percebe como essa visão equivocada pode danificar todo o seu relacionamento com o Senhor?

O serviço torna-se o centro da vida com Deus, quando na verdade, deve ser fruto da intimidade e comunhão que temos com o Senhor!

Essa mesma confusão pode ser gerada quando ritualizamos o nosso devocional. Quando, ao invés de usarmos a leitura da Palavra e oração para buscar a face de Deus, fazemos isso para aliviar nossa consciência e cumprir um compromisso que nós mesmos estabelecemos, como se a nossa oração e leitura da Palavra pudessem pagar o que Cristo fez por nós!

Veja que nesses casos, o centro de tudo que fazemos deixa de ser Deus e passa a ser nós mesmos, nossos interesses e compromissos!

Lembre-se disto: o fim de tudo que fazemos tem de ser Cristo! Reveja a maneira como você tem andado!

Se você tem transformado os meios em fins, dê um passo atrás e volte a um estágio onde o seu relacionamento com o Senhor seja plenamente sadio e edifique corretamente a sua vida!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Encontrado pelo Verdadeiro Amor

0 comentários
 Rascunhos

Andando por aí
Consigo entender
A maravilhosa chance que tive
De te conhecer

Inexplicavelmente encontrado pelo amor
Daquele que é o meu Senhor
Decidi não viver para mim mesmo,
Mas desejei te obedecer

Irrestritamente,
Não tirando onda,
Mas um verdadeiro crente
Como se deve ser

Na batalha, na vitória,
Mesmo chorando ou com muita dor
Aprendi a dar valor
Àquele que é o meu Senhor

Só posso te amar
Porque me amaste primeiro
E ofereceste o Cordeiro
Para morrer em meu lugar

Só posso te amar
Porque me amaste primeiro
E entregaste Teu Filho
Para me salvar

Sou Teu
Não vou me envergonhar
Mais vale a alegria
De contigo estar

Sou Teu
E pago qualquer preço
Pois um dia Você deu
O que não posso te pagar


"Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" ( João 3.16 )

"Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho" ( Filipenses 1.21 )

"E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me." ( Lucas 9.24 )

Quer conhecer mais sobre Jesus? Clique aqui.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...