quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Conversa Franca de Natal

0 comentários
Mesmo sabendo que não existe Papai Noel,muitos de nós ainda sonhamos com um presente de Natal ao estilo de quando éramos crianças...Algo grande e inesperado!

Os sonhos dos adultos e jovens não são mais aquela bicicleta e vídeo-game que vimos na vitrine da loja (ou são?)...Sonhamos com presentes que solucionem problemas da nossa atual fase da vida.

Muitos sonham com a possibilidade de poder cursar uma faculdade, conseguir um emprego melhor, casar da maneira como sempre sonhou...E um sonho que, com certeza, povoa a mente dos mais endividados é estar livre das dívidas!

Imagine a situação: de repente, os financiamentos do carro e da casa desaparecem, as dívidas com o cartão de crédito e os sucessivos empréstimos tomados junto ao banco estão quitados, as contas de água, luz, telefone, TV a cabo, Internet banda larga, mensalidades da escola ou faculdade estão pagas...Pra sempre!

Como seria diferente a vida assim...

Mas, até aqui falamos apenas de situações que envolvem o nosso mundo palpável: aquilo que é terreno e físico.
Talvez você não seja uma pessoa endividada no plano terreno e por isso, não compartilha desse sonho que mencionei acima.

Porém, existe um mundo espiritual, no qual a minha e a sua vida estão incluídas e,infelizmente,existe uma pior e enorme dívida associada a nós neste lugar: uma dívida criada em razão da nossa desobediência a Deus.

Independentemente de quem nós somos, a Bíblia diz “TODOS pecaram e precisam da glória de Deus” (Rm.3.23)

A nossa dívida é tão grande que a garantia do pagamento dela é a nossa própria alma!
A nossa eternidade está comprometida em razão do nosso pecado diante de Deus.

E o maior problema...Nós não temos condições de pagar essa dívida! E nunca teremos!
Ou seja, caminhamos a passos largos para a execução da dívida: a separação eterna de Deus e Sua bondade.

“Porque o salário do pecado é a morte”(morte eterna,separação total de Deus e Sua bondade) (Rm.8.23)

Se cair nas mãos de um cobrador de dívidas terrenas já é um grande problema, pense sobre o tamanho da encrenca em ter que agüentar um cobrador de dívidas espirituais, comumente chamado de diabo, durante toda a eternidade, oprimindo você.

É algo aterrorizante!

Mas, se não podemos contar com o Papai Noel para nos livrar das dívidas do mundo físico, temos um Salvador no mundo espiritual: Jesus Cristo.

Ele deixou o seu lugar de majestade e honra junto a Deus, nasceu, viveu nesse mundo e, por amor a mim e a você deu a sua própria vida como pagamento de todas as nossas dívidas espirituais!! (Fp.2.7-8;Jo.3.16)

Somente Ele poderia fazer isso, porque foi o único que andou na Terra, passou pelas mesmas dificuldades que nós e não desobedeceu a Deus.(Hb. 4.15)

O mais interessante é que apesar deste pagamento ter custado tudo para Jesus,Ele nos repassa essa liberdade gratuitamente. (Ef.2.8-9)

Apenas, preciso crer que Ele morreu na cruz em meu lugar, pagando o preço dos meus erros e confessá-lo como Senhor e Salvador da minha vida.

“A saber:Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” Rm.10.9

Jesus não está interessado no seu passado ou presente; não espera que você esteja obedecendo a vontade dele para depois conhecê-lo, Ele te chama agora para viver uma nova vida, em um relacionamento verdadeiro com Ele. Basta abrir o seu coração e convidá-lo.

Que neste Natal, você possa receber um presente muito maior do que qualquer Papai Noel poderia te dar: algo eterno,fruto de um relacionamento verdadeiro com Jesus.

Deixe suas dividas aos pés de Jesus e viva a vida abundante que Ele tem reservada para você!

Você quer conhecer mais sobre Cristo?Clique aqui.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Sobre a Santidade

0 comentários
A nossa vida é formada por decisões e já sabemos bastante a respeito disso.
Decisões que outras pessoas tomam e afetam a nossa vida e, principalmente, decisões que você toma e nenhuma outra pessoa pode decidir em seu lugar.

Existem diversas decisões que precisamos tomar no nosso relacionamento com Deus.
A primeira delas é crer e confessar Jesus como Senhor e Salvador da nossa vida; depois disso, é necessário que diariamente decidamos manter essa decisão, buscando um relacionamento com Ele, em oração e leitura da Bíblia.

Uma outra decisão extremamente importante no nosso relacionamento com Deus é o nosso posicionamento para viver uma vida em santidade.

A decisão por viver em santidade é algo essencial para o desenvolvimento da nossa comunhão com Deus.

Porém, muitos pensam que santidade é algo inalcançável e dolorido demais, uma vida completamente alienada onde não podemos fazer nada; onde receberemos uma “listinha” com o que não podemos fazer e teremos que fugir dessas coisas sem motivo válido.

Mas, na realidade, não é assim.

Santidade é tomar a decisão de viver uma vida separada para Deus, não se contaminando com as coisas que pertencem ao mundo e procurando obedecer a Deus e Sua Palavra, por amor a Ele e aquilo que Ele diz.

Daniel foi levado cativo à Babilônia e decidiu não se contaminar com as comidas que haviam naquele lugar (Daniel 1.1-8)Isso serve como ilustração para a forma como devemos agir.

A Babilônia é o nosso mundo atual, com todas as suas tentações e nós, como servos de Cristo, precisamos decidir nos afastar dos comportamentos e desejos deste mundo para agradarmos a Deus.

Mas, não basta apenas declararmos que queremos viver uma vida em santidade para que as mentiras, a inveja, os desejos carnais e toda sorte de desobediência a Deus tornem-se passado na nossa história.

Sabemos que as coisas não são assim!
E o apóstolo Paulo também sabia!

Em Romanos 7.15-25, o apóstolo Paulo nos diz que aparentemente há uma competição dentro dEle: o seu interior quer seguir a Deus, porém a sua carne tenta agir de maneira desagradável a Deus.

E essa mesma disputa existe dentro de nós.

Não somos capazes de viver uma vida separada para Deus apenas pelas nossas forças!
A nossa simples decisão por santidade não é capaz de nos afastar das maldades deste mundo.
Quando agimos apenas pelas nossas próprias forças para chegarmos à santidade, nos cansamos e no final, acabamos falhando!

É necessária a ação do Espírito de Deus em nossas vidas, cooperando conosco, para nos conduzir às atitudes agradáveis a Ele!

Quando tomamos a decisão de viver em santidade, buscamos mais da presença de Deus e fugimos das tentações que aparecem diariamente, permitimos que o Senhor molde os nossos corações e transforme-nos, dia a dia, em pessoas mais semelhantes a Ele.

O processo de santificação nas nossas vidas,através da ação do Espírito Santo, vai acontecer até o momento de nos encontrarmos com Cristo (Filipenses 1.6).

Ou seja, não existe ninguém na face da terra que seja perfeito.Todos os que servem a Deus ainda passam pelo processo de aperfeiçoamento com o propósito de serem como Cristo.

Por isso, quando o meu irmão em Cristo erra, não posso julgá-lo, antes tenho que apoiá-lo para que Ele se arrependa e se levante em Cristo Jesus, para voltar a agir de modo agradável a Deus.

Devo fazer isso porque eu mesmo estou sujeito ao erro e preciso do meu irmão em Cristo a me apoiar, caso eu falhe.

Mas, para que preciso decidir viver em santidade?

Para alcançarmos o alvo: sermos santos como Ele é (I Pedro 1.14-16)
A nossa decisão por santidade é necessária para que permitamos o trabalhar de Deus nas nossas vidas, nos tornando semelhantes a Cristo.
Este é o alvo que temos de alcançar na nossa trajetória nesta terra: sermos semelhantes a Ele!

Para resplandecermos a vida de Cristo em meio a este mundo (Filipenses 2.15)
O mundo tem necessidade de conhecer a Cristo. E nós somos os instrumentos separados por Deus para isso!
Contudo, o modo de demonstrarmos Cristo ao mundo é através das nossas atitudes e elas só refletirão a imagem de Jesus a partir do momento que decidirmos por santidade e nos abrirmos para o processo de santificação que o Espírito Santo faz em nós. A partir daí, o nosso caráter será moldado à semelhança dEle e as pessoas verão em nós as características de Cristo e serão atraídas ao Senhor através das nossas vidas.

Precisamos decidir trilhar o caminho da santidade todos os dias.

Por vezes, conforme o tempo passa, vamos esquecendo do processo de santificação que Deus ainda tem em nossas vidas e fechamos o coração para a ação do Espírito Santo.

Não é essa a decisão que Deus espera de nós!

Convidar o Senhor a trabalhar em nosso interior e nos ajudar a viver de maneira agradável a Ele.
Escolhermos a vontade de Deus para as nossas vidas e não aquilo que o mundo diz.
Isso é o que devemos decidir todos os dias!

Desse modo, resplandeceremos Cristo no nosso dia-dia e, no dia de Cristo, alcançaremos o alvo que nos está proposto: sermos santos como Ele é!

domingo, 13 de dezembro de 2009

Deixe o Passado no Passado!

0 comentários
A nossa vida é construída com base em diversas experiências que temos no nosso dia-dia. E sabemos que nem todas essas situações que envolvem os nossos dias são boas.
Por vezes, somos machucados; feridos por alguma palavra ou atitude de outra pessoa.
Porém, a vida continua e a nossa atitude perante estes problemas do dia-dia influi diretamente naquilo que alcançaremos no nosso presente e futuro.
A Bíblia relata a história de um homem chamado José que exemplifica especialmente este tema.
José foi vendido pelos seus irmãos aos midianitas, em razão do ciúme e inveja que estes nutriam contra ele (Gn.37.4,11,28).
Os midianitas repassaram José a Potifar, eunuco de Faraó. Lá, mesmo servindo de maneira correta, foi preso por uma acusação injusta.(Gn.39.12-20)
Na prisão, também se comportou de modo exemplar e revelou os sonhos de dois servos de Faraó. Ao copeiro, que seria reintegrado ao posto, pediu que fizesse menção dele na presença de Faraó.(Gn.40.14).Contudo, o copeiro demorou dois anos para lembrar-se do que José havia feito por ele.(Gn.40.23,41.1).
Porém, apesar destas inúmeras experiências dolorosas que enfrentou, vemos um homem perseverante, de comportamento exemplar e que foi capaz de cumprir o propósito que Deus tinha para a sua vida, a despeito das dificuldades.
José nos ensina como devemos lidar com as situações dolorosas que enfrentamos.
Apesar de todas as adversidades que ele havia enfrentado, José não se tornou um homem rancoroso, ressentido ou magoado.
Nós, quando somos machucados, temos a tendência natural de fechar o nosso coração e remoermos àquilo que aconteceu, ao mal que nos foi feito.
Sentimos dó de nós mesmos, lamentamos pelos obstáculos que se levantaram no caminho e impediram que alcançássemos os sonhos gerados por Deus em nós.
Mas, José agiu de maneira contrária ao natural.Ele foi um homem que continuou a ser doador, persistiu em abençoar outras vidas e estar aberto para a vida independentemente do que poderia receber das pessoas que o rodeavam
José foi capacitado por Deus para perdoar e deixar para trás toda a sua antiga trajetória, as dores, as vergonhas, as desilusões e olhar para o alvo, a fim de alcançar o propósito de Deus.
O apóstolo Paulo nos fala a respeito disso em Filipenses 3.13-14:
“...esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.”
Nós precisamos buscar de Deus esta capacidade. Não podemos viver atados às circunstâncias que já foram.
Você, preso ao passado, esquece de construir o presente e para de sonhar com o futuro.
Deus quer que alcancemos os propósitos que Ele têm para nós, assim como José os alcançou. Para isso, necessitamos nos desvencilhar das cadeias do passado.
Só conseguimos isso através do ato sobrenatural do perdão.
Ao tomarmos a decisão de que as atitudes do passado não mais influirão no comportamento do presente e perdoarmos àqueles que nos fizeram mal, nos livramos dos pesos e podemos prosseguir para o alvo de Deus para as nossas vidas.
Deixe o passado para trás e prossiga para viver os grandes sonhos de Deus!
Para perdoarmos, precisamos primeiramente recebeu o perdão de Cristo em nossas vidas.Se você quiser receber a Cristo e o Seu perdão,clique aqui.

Em meio ao deserto,o que fazer?

0 comentários
Números 9.1-5
Em diferentes oportunidades na nossa vida, notamos que estamos em meio a um deserto.
Uma zona árida, sem perspectiva, onde a poeira das lutas e o calor parece atrapalhar a visão, perturbar o coração.
E nesse lugar incômodo, aparentemente sem saída, perguntamos a Deus e a todos que nos rodeiam:O que fazer? Como devo agir em meio ao deserto?
O povo de Israel passou por esse questionamento durante sua peregrinação até a Terra Prometida.
Perto de sair do Egito, o povo de Israel foi orientado por Deus a celebrar a primeira Páscoa (Êxodo 12). Essa festa celebrava a vitória, a libertação do jugo colocado pelos egípcios durante centenas de anos.
O povo de Israel celebrou a Páscoa e, em seguida, todos eles saíram do Egito, levando ouro, prata e animais daquela nação. Uma grande vitória!
Como é fácil celebrar a Deus, fazer festa quando se tem motivos óbvios e vistos para comemorar, não é?
Mas, após isso, o povo de Israel inicia o seu caminho até a Terra Prometida. Um caminho de deserto.
Um tempo em que é necessário aprender a depender de Deus em tudo: até mesmo para comer, para beber, para andar...Um caminho de luta.
E apesar de muito andarem, o deserto não termina. A Terra Prometida não surge no horizonte.
Muitos começam a murmurar, reclamar, a buscar suas próprias saídas. E passa-se um ano.
Aquela data que foi festiva no passado, hoje, é apenas mais um dia levado em meio a um deserto que teima em não terminar.
Mas, então Deus fala a Moisés: Celebrem a Páscoa! (Nm.9.2)
A ordem de Deus para todos aqueles que estão em meio ao deserto é esta: não apenas celebre quando a vitória já está aparentemente conquistada, mas, se você tem uma promessa, se Deus te disse que iria fazer algo em sua vida, festeje também!
Mesmo que você esteja em meio ao deserto e a terra que mana leite e mel pareça estar distante, celebre o nome do Senhor! Não se una aos murmuradores e aos que procuram andar em seus próprios caminhos!
Não permita que o sentimento de derrota encha o seu coração, mas cante a Deus, celebre o nome dEle, festeje a vitória antes mesmo de vê-la!
E o tempo de deserto será abreviado e, logo, a Terra Prometida surgirá à frente para ser conquistada.
Deus te desafia a exaltar o nome dEle, em fé, mesmo que você não veja nada além de deserto à sua frente e Ele, com o Seu Espírito, trará ao mundo físico o que prometeu.

Olhar com a Perspectiva do Eterno

0 comentários
At. 6 e 7
Estevão é o primeiro mártir mostrado na Bíblia após a morte e ressureição de Jesus Cristo.
Ele foi um dos sete homens escolhidos pelo povo para serem diáconos da igreja primitiva, cuidando do suprimento das necessidades do povo,especialmente das viúvas gregas.(At.6.1-5)
Deus o levantou poderosamente no meio do povo para mover milagres e sinais que incomodaram os religiosos da época,que não conseguiam resistir “à sabedoria e ao Espírito com que falava”.(At.6.10)
Então, aqueles homens subornaram pessoas para dizer que Estevão havia blasfemado contra Moisés e contra Deus. Por causa disso, Estevão foi levado ao conselho e questionado sobre as palavras que havia dito.(At.6.11-14)
Ao tomar a palavra, Estevão faz um discurso cheio do poder de Deus, falando sobre a história de Israel e como aquele povo sempre resistiu aos profetas e a voz de Deus.(At.7)
Aqueles homens ficaram furiosos com aquelas palavras e “rangiam os dentes contra ele”(At.7.54).Porém, Estevão, cheio do Espírito Santo disse:
“Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem,que está em pé à mão direita de Deus”(At.7.56)
Essas palavras foram o suficiente para aqueles homens que tiveram uma reação digna de crianças mimadas e desobedientes, ação de pessoas que não querem ouvir a verdadeira voz de Deus:
“Mas eles gritaram com grande voz, taparam os ouvidos e arremeteram unânimes contra ele”(At.7.57)
Estevão é levado para fora da cidade e apedrejado.
Mas, mesmo nesse momento de tão grande sofrimento e que poderia ser motivo de raiva e cólera nos instantes finais de sua vida, Estevão segue o exemplo de Jesus e clama:”Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.”(At.7.60).
A história de Estevão nos permite recordar algumas verdades do Evangelho pregado por Jesus Cristo.
Através da pequena biografia da vida de Estevão, contida em Atos 6 e 7, vemos um homem capaz de entregar tudo que tinha, inclusive sua vida, por amor a Deus, ao Seu filho, Jesus e a Sua mensagem.
Um homem disposto a viver a seguinte palavra dita por Jesus :
“Então,disse Jesus aos seus discípulos:Se alguém quiser vir após a mim,renuncie-se a si mesmo,tome a sua cruz e siga-me”(Mt.16.24
A vida de Estevão contrasta com a realidade do evangelho que vivemos, em geral, na atualidade.
A cada dia que passa, estamos menos dispostos a sacrificar algo por Jesus e mais interessados nos benefícios que podemos desfrutar ao segui-lo.
Temos nos preocupado demasiadamente com promessas, bênçãos, toda sorte de elementos terrenos e desviado os nossos olhos do mais importante.
O egoísmo humano, por vezes, tem se misturado ao evangelho.Estamos preocupados com aquilo que o evangelho reserva apenas a nós.
É claro que Deus têm inúmeras promessas para as nossas vidas e o desejo dEle é cumpri-las.Mas existe muito além disso.
Ele quer direcionar os nossos olhos para aquilo que mais importa e não é a fortuna que podemos amealhar nessa terra, mas sim aquilo que podemos ajuntar no céu.
Jesus disse: “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.” (Mt.6.19,20)
É necessário buscar aquilo que permanece diante de Deus, voltar os nossos olhos para a perspectiva do eterno.
Nos libertarmos do egoísmo, que busca apenas para si e nos voltarmos para uma verdadeira comunhão com Deus e amor ao próximo que está distante de Cristo.
Assim como Estevão, que foi capaz de entregar tudo que tinha, pois tinha a perspectiva do eterno, necessitamos voltar os nossos olhos para uma verdadeira comunhão com Cristo, buscando ajuntar tesouros onde mais importa: no céu, onde ninguém pode roubar nem desgaste algum pode consumir.
Olhe as situações deste mundo com a perspectiva da eternidade!

Sobre o Serviço Cristão

0 comentários
Constantemente, ouve-se falar da importância de mostrar a diferença de Cristo onde vivemos e impactar a nossa geração com a mensagem do Evangelho. Jesus nos chama a fazer isso!

Em Mateus 5, Ele fala que devemos ser o “sal da terra e a luz do mundo”, ou seja, devemos viver uma vida em obediência ao Senhor, levando transformação segundo Cristo por onde passamos.

Mas, quando você pensa em pessoas geradoras de impacto na sociedade, a última imagem que vem à mente é a sua própria!
Qualquer um pensará em presidentes, pastores, executivos, pessoas que ocupam altos cargos e, aparentemente, são capazes de influenciar o andamento da vida de muitos indivíduos.

Jesus Cristo, na Sua Palavra, mostra um modo de viver que impacta a todos que estão ao redor e é dessa forma que Ele espera que você viva: servindo, assim como Ele serviu!

Existem pelo menos três princípios visíveis na vida de Jesus que estabelecem algumas bases do serviço cristão:

* Servir é doar de si mesmo e daquilo que dispõe a outro.

"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. " ( Filipenses 2.5-8 )

Jesus doou de si mesmo, de tudo aquilo que tinha, se despojou de Sua majestade  e veio como homem por amor a nós!
A sua vida deve seguir este exemplo de Cristo! Doe do seu tempo, da sua força e até mesmo de bens materiais para abençoar a vida de outra pessoa que esteja em necessidade do seu auxílio!

* Servir é perdoar e esquecer os males que outras pessoas fizeram contra você.

"E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. " ( Lucas 23.34 )

Mesmo na cruz, Jesus foi capaz de perdoar aqueles que o colocaram naquela situação!
O servo segundo Jesus Cristo vai contra os desejos da carne, que é rancorosa e vingativa e dispõe-se a perdoar os que fizeram males e, mais do que isso, esquecer essas atitudes negativas.

Doar, perdoar e esquecer.

Por vezes, esses princípios trazem à mente a imagem de uma pessoa vulnerável, fraca e não de alguém capaz de impactar quem está ao redor.
Porém, na Bíblia, é retratada uma cena que mostra como o servir cristão traz mudança de comportamento em quem está ao redor do servo.

João 13.1-17

Jesus, após a última ceia, coloca uma toalha em volta da cintura, pega uma bacia e começa a lavar os pés dos discípulos, um a um.
Esse trabalho deveria ter sido feito antes do início da ceia, pois naquela época as pessoas comiam em mesas que eram bem próximas ao chão, praticamente deitadas e os seus pés ficavam bem à vista das outras pessoas.
Como aquela região era desértica e eles andavam de sandálias, normalmente o pé sujava com facilidade.

Porém, nenhum dos discípulos havia se oferecido para esse serviço. Na realidade, eles estavam mais preocupados em lutar pelas posições de autoridade no reino de Deus.

Marcos 9, a partir do versículo 33 relata uma discussão entre os discípulos disputando quem era o maior.
Em Mateus 20.20-23, a mãe de Tiago e João pediu que Jesus escolhesse seus filhos para sentar à sua direita e esquerda no Reino.

Imagine o impacto causado na mente daqueles discípulos: o próprio Mestre lavando os seus pés, o símbolo maior de autoridade e a posição que todos almejavam: o Rei de um Reino eterno!
Não era isso que os discípulos esperavam de alguém da posição de Jesus!

A primeira lição que podemos aprender é que o servo surpreende e impacta o mundo com o seu serviço!

Vivemos em um mundo orgulhoso e egoísta. Um local onde grande parte das pessoas está disposta a fazer de tudo para alcançar o primeiro lugar, ter fama e sucesso.
Quando as pessoas deste mundo, assim como os discípulos de Cristo, encontram alguém que está disposto a servir, elas são impactadas por esse modo de viver diferenciado.
Até mesmo pequenas ações de serviço são capazes de impactar outras pessoas!

Após lavar os pés dos discípulos, Jesus começa a ministrar a respeito do serviço e duas declarações merecem atenção especial.

No versículo 15, Jesus diz:”Dei-vos um exemplo para que,como eu vos fiz,vós o façais também”.
Aquele que se dispõe a ser servo, reflete a imagem de Jesus Cristo.
A melhor maneira de se parecer com Jesus é servindo aos outros!
Foi tudo o que Ele fez, foi a sua missão principal!

De sua própria boca, Jesus fala em Marcos 10.45:
“Porquanto nem mesmo o Filho do Homem veio para ser servido,mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”.

As pessoas foram atraídas para Jesus naquela época em razão do modo como Ele se comportava, doando de si aos outros, não procurando glorificar-se, mas sim ao Pai.
Isso contrastava com a atitude dos fariseus, que a todo tempo buscavam reconhecimento humano.
À medida que você servir outras pessoas, o seu testemunho sobre Cristo será mais claro, pois você estará andando como Ele andou!

No versículo 17, Jesus diz “Bem-aventurados sois se as fizerdes”.

Se, aparentemente, o serviço cristão é algo duro e sacrificial, recebemos da parte do próprio Jesus uma afirmação animadora:
O servo é feliz e será recompensado!
Apesar da dificuldade do serviço cristão, que não pode ser omitida, Jesus diz que felizes serão aqueles que praticarem estas palavras! Receberemos da parte de Deus uma felicidade que o dinheiro não pode comprar!

"E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido."  ( Galatas 6.9 )

Se perseverarmos até o fim no caminho do serviço, receberemos as recompensas de Deus!

Jesus te convida a viver uma vida que gerará impacto em quem está ao seu redor: uma vida de serviço, como Ele viveu!
Doando, perdoando, esquecendo, tornando-se fraco para com os homens e forte em Deus, um caminho de entrega de si mesmo para refletir a imagem de Jesus nessa terra e perfumá-la com a fragrância dEle!

Entregar Tudo x Assumir o Controle ?

0 comentários
Marcos 5.1-20
Provavelmente,você já tenha lido essa passagem que relata a libertação do endemoninhado gadareno(ou geraseno ou gergeseno, de acordo com a versão da sua Bíblia).
A Palavra nos conta que Jesus foi até a província dos gadarenos e lá encontrou um homem possuído por um espírito imundo.
Este homem morava nos sepulcros e nada conseguia segurá-lo,nem mesmo correntes atadas ao seu corpo (vs.3-4).
Jesus, ao encontrar com o homem, ordena que o espírito maligno saia dele, na realidade que uma legião de demônios que dominavam aquele homem deixassem o seu corpo (vs.8-9).
Porém, os demônios pediram que Jesus os permitisse entrar em uma manada de porcos que pastava ali na região (vs.11).
Jesus permite e os demônios saíram daquele homem e entraram nos porcos,fazendo com que quase dois mil porcos se lançassem a um precipício e se afogassem no mar (vs.13).
Vendo isso, os homens que apascentavam os porcos foram até a cidade e contaram tudo à população, que veio e encontrou um homem, antes possuído, agora transformado. Segundo o versículo 15 de Marcos 5:”e viram o endemoninhado,o que tivera a legião,assentado,vestido e em perfeito juízo...”.
De possuído e indomável a desejoso de estar com Jesus e anunciar a Sua mensagem (vs.18-20), uma transformação radical!!
Normalmente, estudamos esses versículos dando ênfase a transformação pela qual passou o endemoninhado.
Mas, existe uma outra situação da qual podemos tirar lições nessa palavra:a atitude do povo daquela cidade.
Ao ver a transformação repentina daquele homem e saber do que aconteceu aos porcos (vs.16),uma das fontes de renda daquele lugar, a população daquela região temeu muito e rogou que Jesus saísse do seu território.
Jesus apenas atende ao pedido daquele povo (vs.18) e se retira dali rumo ao lado ocidental do mar da Galiléia.
Temos atitudes muito semelhantes a do povo gadareno no nosso dia-dia.
Existem áreas da nossa vida em que queremos manter Jesus a uma distância segura, não queremos nos envolver profundamente com o Senhor da transformação, pois Ele pode querer modificar nossos planos, mudar nosso interior.
Queremos Jesus apenas para consolar o nosso coração no momento de tristeza, queremos Jesus para ter a certeza da salvação, queremos Jesus para receber as promessas de bênção...
Queremos Jesus para a satisfação do nosso ego. Porém, quando a Palavra e o testemunho de Jesus são colocados diante de nós para transformar o nosso interior e confrontar nossas atitudes, queremos...fugir de Jesus.
Estamos tão acostumados a viver com o homem possuído e criar nossos porcos, não precisamos de ninguém que venha mudar esse quadro, já sabemos lidar com essa situação.
Sabemos lidar com os pecados e viver uma vida superficialmente cristã, sabemos lidar com determinados problemas que surgem no dia-dia, mesmo que Deus não concorde com as saídas que arranjamos.
Rogamos a Jesus que saia do controle de certas áreas da nossa vida e nós mesmos assumimos a posição de comando.
E Jesus,ao entender a posição que tomamos, apenas sai da frente.
Como fez com o povo de Gadara, Ele apenas entra no barco e vai para a outra margem. Sem gritaria, sem ameaças.
Ele nos dá o livre arbítrio para escolher o caminho a tomar.
Aquele povo poderia ter visto outros milagres e aprendido muito mais com Jesus, todavia decidiu pedir a Ele que saísse dali.
Nós também temos essa opção. Jesus quer cuidar da nossa vida por inteiro, sem exceções. Ele quer transformar o que for necessário em nosso caráter, compartilhar os Seus sonhos e levar-nos muito além do que imaginamos ser possível, pela força do Seu poder.
Para isso, precisamos entregar o que for necessário para não dizer TUDO, por mais difícil que seja.
Porém, podemos afastar o Senhor de nós e levar a vida egoísta com “os porcos e o homem imundo”, extinguindo a ação de Deus no nosso interior.
Qual tem sido a sua escolha hoje?
Reflita sobre a sua vida e decida o caminho por onde quer andar.
Você quer receber a Cristo? Clique aqui.

Disposto a Ouvir a Deus

0 comentários
Is.30.1-2,15
Você pode analisar em sua vida: Quantas vezes, em momentos de dificuldade ou próximo de tomar uma decisão importante, você correu de um lado a outro buscando ajuda ou conselhos de pessoas próximas, mas se esqueceu de pedir o apoio e a direção de Deus?
No capítulo 30, o profeta Isaías mostra que o povo de Israel já fez algo parecido.
Israel vivia à beira de um conflito militar e buscou a ajuda do Egito a fim de estar preparado para enfrentar uma possível guerra.
Porém, essa iniciativa foi tomada sem consultar a Deus.Israel não buscou conselho nem a ajuda do Senhor, mas foi atrás do apoio de uma nação ímpia.
E nos versículos 3-5, Deus mostra que este apoio humano de nada serviria a não ser para conduzir a “vergonha e opróbrio”.
O Senhor continua falando, no versículo 15, que a direção dEle seria diferente,o caminho proposto por Ele seria outro,mas por causa da falta de sabedoria em decidir onde se apoiar,aquele povo passaria por dificuldades.
A falta de sabedoria presente nas decisões que Israel tomou nesse capítulo se mostra em nossas vidas diversas vezes.
Corremos atrás de pessoas em busca de ajuda, de conselhos e nos esquecemos de voltar os nossos olhos à Deus.Nos desgastamos em busca de criar soluções para os nossos problemas enquanto o Senhor nos aconselharia a repousar, a sossegar, a confiar nEle(Is.30.15).
E quando decidimos andar pelo nosso próprio pensamento ou pelos conselhos carnais que ouvimos, acabamos destinados a enfrentar circunstâncias ruins que não estariam presentes no caminho direcionado por Deus.
Precisamos buscar a direção de Deus e o Seu apoio em todas as áreas da nossa vida.
Para isso, precisamos afinar os nossos ouvidos espirituais para escutar a voz de Deus.
Dois passos para ouvir melhor a Deus:
1.Comunhão com Deus
Para ouvirmos à voz de Deus é necessário comunhão com Ele.No livro de Isaías, o povo de Israel estava vivendo em idolatria, afastado do Senhor.
Reservarmos nossa vida em santidade, em leitura da Palavra, em oração, nos relacionando com Ele é fundamental para podermos ouvir a Sua voz.
2.Obediência
É importante que venhamos a praticar o que Deus nos disser.
Tiago 1.22 diz,
“E sede cumpridores da Palavra e não somente ouvintes...”
Receberemos do Senhor ordens que nosso “eu carnal” nem sempre estará disposto a obedecer.
Contudo, precisamos diminuir as vontades da nossa carne e cumprirmos.a vontade de Deus.
É necessário que busquemos obedecer a direção que Deus nos der.
O Senhor quer cuidar de nós e dirigir nossas vidas pelo melhor caminho.Ele quer ser nosso apoio, aquele a quem recorremos no dia mau.
Basta que, humildemente, nos coloquemos diante dEle,dispostos a ouvir e obedecer à Sua voz.

Não te deixarei nem te desampararei

0 comentários
Existem certos momentos em nossas vidas que algumas verdades que pareciam absolutas em outros tempos começam a ser questionadas em nosso interior.
Boa parte desses questionamentos surge como sugestão do nosso maior inimigo, o diabo, porém por vezes deixamos que a dúvida cresça e ganhe espaço em nossos corações a ponto de nos afligir.
Quando passamos por lutas nas quais não vemos saída aparente; problemas financeiros e de saúde atacando nós e nossos queridos, situações ao nosso redor desmoronando...Em meio a esse turbilhão de problemas, o diabo, sutilmente e frequentemente, lança alguns questionamentos:
-Será que Deus está interessado no que você passa?
-Será que Deus se preocupa de verdade com o que você está sentindo?
-Será que você não está sendo castigado por algo ruim que você fez?
-Será que você não está sozinho,largado à sua própria sorte?
-Será? Será? Será?
Provavelmente você já passou por momentos assim. E, muitas vezes, fragilizado pelas dificuldades enfrentadas, pelas dores e problemas aparentemente sem sentido que surgiram na sua vida, acaba sucumbindo a voz maligna do diabo e se entregando à murmuração contra Deus.
Mas, existe uma palavra que Deus ministrou a Josué diante de um desafio difícil que este enfrentava e que também é voltada para nós, em todos os momentos, mas principalmente quando as dificuldades parecem nos envolver.
Josué 1.5
"...Não te deixarei,nem te desampararei".
Josué recebeu uma incumbência extremamente complicada: suceder um líder tremendamente usado por Deus, Moisés, homem usado com grande poder para milagres no meio do povo de Israel.
E Deus, ao encorajá-lo para esta tarefa, revela essa parte do versículo descrita acima.
Talvez para aqueles que estão em uma situação mais confortável, essa palavra seja bastante óbvia, mas quando enfrentamos grandes problemas e desafios, como Josué, é importante relembrarmos isso.
Por mais que as dificuldades estejam nos envolvendo e não vejamos muita saída nem manifestações de Deus no caminho,mesmo que os desafios sejam aparentemente tão maiores do que nossas capacidades, podemos ter a certeza que Ele não nos deixará sozinhos, Ele não nos desamparará.
E, no momento certo, nem atrasado nem adiantado, Ele intervirá em nosso favor .
Como disse Jó:"Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra." (Jó 19.25)
Deus há de se levantar para trazer escape para a sua vida e cumprir as suas promessas, pois Ele mesmo diz através do apóstolo Paulo que "... todas quantas promessas há de Deus, são nele sim, e por ele o Amém, para glória de Deus por nós". (II Co.1.20) .
Rejeite todo questionamento que o diabo trouxer à sua mente a respeito da ação de Deus por você, permaneça firme em Deus e em suas promessas, pois Ele está contigo para ser apoio e força para superar todas as dificuldades!
Você quer receber a Cristo em sua vida? Clique aqui.

Saia da Zona de Conforto!

0 comentários

Ouça o áudio dessa pregação! Clique aqui !

Base Bíblica: Mateus 17. 1-9

A transfiguração de Jesus é uma palavra bastante conhecida da Bíblia, consta em três dos quatro evangelhos, mas iremos estudar a visão desse acontecimento através da ótica de Pedro, um dos discípulos de Jesus.

Pedro fora chamado juntamente com Tiago e João, os discípulos mais íntimos de Jesus para ir a um alto monte com Ele. E, chegando lá, os discípulos vivem uma experiência sobrenatural: veem as vestes de Jesus se tornando mais brancas, o seu rosto resplandecente como o sol. De repente, aparecem Moisés e Elias para conversar com Ele.

Que experiência sobrenatural!

E, em meio aquele momento, Pedro toma a palavra no vers. 4 e diz :”Senhor, bom é estarmos aqui,se queres, façamos aqui três tendas, uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”.

No mesmo momento, ouve-se uma voz dos céus que diz: ”Esse é o meu Filho amado, em quem me comprazo, ouvi-o”.

Nesse momento, os discípulos caem sobre os seus rostos atemorizados. Jesus toca-os e diz “Não temais” e quando eles levantam os seus olhos percebem que apenas Jesus está ali. Então, Jesus desce do monte e diz aos seus discípulos que não contem nada daquilo a ninguém até a ressurreição.

Pedro, ao passar por essa experiência poderosa com Deus, vira para Jesus e fala: ”Senhor, vamos montar tendas aqui e vamos ficar neste lugar. Está muito bom, estamos em ótima companhia no alto desse monte”.

Pedro, ali naquele momento, tem uma postura egoísta: se esquece dos outros discípulos que estão lá no vale, das pessoas que estão à espera de Jesus.
Afinal, ele está em uma posição extremamente confortável: ao lado do Messias, do profeta a quem Deus deu as Leis e daquele que ordenou que não chovesse sobre Israel e não choveu.

O comportamento que Pedro teve diante dessa situação é parecido com o comportamento que  temos hoje, na vida diária como cristãos.

Muitas vezes, temos nos colocado em uma zona de conforto, acomodados.
Já conhecemos a Cristo, temos vivido as bênçãos, as promessas de Deus têm se cumprido em nossas vidas e estando nesse “alto monte” com Cristo, acabamos montando “tendas” e nos acomodamos nessa situação de bênção.

Estamos tão confortáveis que nada mais incomoda : as pessoas ao nosso redor que não conhecem a Cristo não incomodam; as necessidades do irmão não incomodam; o comportamento que está levando a pessoa ao meu lado para o inferno,não incomoda.

Estamos no alto do monte, em uma tenda onde os gritos que ecoam do vale não chegam até nós.
Estamos em uma posição egoísta que não leva em conta ninguém a não ser nós mesmos: já conhecemos a Cristo, vivemos o melhor, os outros achem o caminho com suas próprias pernas. Se não dizemos isso com palavras, dizemos com nossas atitudes!

Mas não nos damos conta do comportamento de Jesus.

Se Ele tivesse concordado com Pedro, montado tendas e não descesse mais daquele monte, não teríamos a oportunidade de conhecê-lo.

Porém, Jesus não aceitou essa proposta. O comportamento dEle foi diferente.

“E descendo eles do monte...” (Mateus 17.7)

Jesus chamou os seus discípulos e desceu do monte!

O Senhor Jesus quer despertar as nossas vidas para sairmos da zona de conforto, do lugar de comodismo que muitas vezes nos colocamos.

Ele te convida a deixar sua “tenda”, a deixar as quatro paredes da sua igreja e descer o monte, colocar o pé nas ruas em busca daqueles que não conhecem a Cristo.

Deus quer trazer incômodo ao teu coração com as situações de pecado que existem ao seu redor; Deus quer te incomodar com as vidas que estão se perdendo, com os necessitados.
Deus tem um propósito muito maior para a sua vida do que apenas ser abençoado nesta terra!

Ele te chama para ser:
-embaixador do Seu reino aqui na terra (2 Coríntios 5.20)
-para refletir, como espelho, a sua glória e imagem (2 Coríntios 3.18)
-para testemunhar até aos confins da terra a seu respeito (Atos 1.8)
-sal da terra e luz do mundo (Mateus 5.11-15)

Deus te chama para ser um abençoador que dará fruto para a eternidade.
Deus te capacitou para ser um abençoador, tem te dado talentos (Mateus 25.14-30).

O que você tem feito com os talentos que Ele tem te dado?

Deus te chama a sair da zona de conforto, do comodismo, do egoísmo para descer do monte e usar
os talentos que Ele tem dado para abençoar vidas que irão para a eternidade.

Deus procura uma geração disposta a sair do esconderijo da tenda e mostrar a todos a luz de Cristo!

Sobre o Amor a Deus

0 comentários
É muito interessante ouvir algumas pessoas falarem a respeito de amor em relacionamentos entre casais,contando sobre o início do namoro,o noivado e o casamento e como o amor se revelou e se modificou nesse tempo.
Geralmente,no início do namoro,existia aquela vontade de estar sempre junto,de participar de cada momento da vida da pessoa amada.
Sempre se buscava uma oportunidade de surpreendê-la,com algum gesto ou presente.
Antes de tomar algumas decisões,sempre se refletia sobre os desejos da outra pessoa e se,por exemplo,jogar bola com os amigos,a chatearia ou não.
Nesse início de relacionamento, era impossível passar algum tempo sem pensar na pessoa amada.
Porém, o tempo foi passando, o relacionamento se desenvolvia a cada dia e o amor se tornou “sólido, duradouro”,ou,para alguns foi “amadurecendo”.
Mas, muitas coisas [que normalmente são lembradas com muita saudade] foram deixadas para trás.
Já era mais fácil ficar algum tempo separada da outra pessoa; as tentativas de surpreender já não eram tão frequentes,na realidade,já havia sido criada toda uma rotina no relacionamento e era difícil sair dela.
Muitas decisões já não levavam mais em conta a vontade do outro... Mas, era bom saber que ao chegar em casa,haveria alguém por esperar,para estar próximo,alguém que saberia entender,apesar de não ser como no começo.
Todos nós já ouvimos histórias como essas algumas vezes.
E trazendo essa imagem do amor em relacionamentos entre casais para o nosso relacionamento com Deus,percebemos que as coisas funcionam de maneira muito semelhante.
No início de um relacionamento com Deus,há um intenso desejo de estar junto a Ele,de conhecer mais da Sua Palavra e receber a fresca revelação daquilo que estava escrito ali.Alguns são capazes de passar horas buscando a Sua presença,derramando o coração em adoração a Ele.
Nas oportunidades de anunciar as boas-novas do Evangelho,participam com dedicação e tentam falar de Jesus onde quer que andem ou façam.
Quando cometiam alguma ação que desagradava a Deus,o coração doía e,totalmente arrependidos,voltavam ao Senhor pedindo perdão.
Amavam a Deus com tudo o que tinha,até passando do ponto aceitável para alguns,mas era o que sentiam.
Porém,o tempo passou e o amor foi se tornando “sólido,duradouro”.A chama que levava a buscar mais da presença de Deus,já não era mais tão intensa,o amor havia “amadurecido”.
Tornou-se desconfortável falar de Jesus para outras pessoas e “incomodá-las” com a mensagem de salvação.
Muitos valores e princípios que incomodavam ao desobedecê-los,atualmente,não são mais tão “errados”.
O amor a Deus ainda existe,mas após adquirir a “experiência” de vastos anos de igreja não é mais preciso fazer algumas coisas que antes se fazia.
Porém,o que a Palavra de Deus nos diz é diferente:
Mt. 22.35
"E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento."
Jesus menciona esse mandamento como “o primeiro e grande mandamento” (Mt.22.36)
Se nos relacionamentos humanos,as pessoas justificam essa mudança no amor como “amadurecimento’ , aquilo que Deus nos diz revela que dentro dessa visão humana,não devemos amadurecer NUNCA no nosso amor a Deus.
O amor a qual Jesus se refere nesse versículo é recheado de intensidade,é aquele tipo de sentimento que realmente domina e aquece o coração.
Ao amarmos a Deus dessa forma,cumpriremos tudo o que a Sua Palavra diz,pois o nosso desejo e todo o esforço será empregado para agradá-Lo.
E quando deixamos esse amor arrefecer em nossos corações,perdemos o eixo que nos leva para perto de Deus,afinal de contas,esse é o primeiro mandamento.
E o pior de tudo é que,por vezes,ao descer desse amor intenso a Deus,nos mantemos em um “estágio” de amor que não nos faz refletir sobre como temos andado com Deus.
Esse estado é revelado em Apocalipse 3.14-17
“E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:
Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”
A igreja de Laodicéia havia entrado em um estado de amor morno e a própria passagem informa que é o pior estágio de amor que alguém pode estar.
O problema de manter um amor morno é que você não consegue identificar qual é a sua real situação.
Achamos que está tudo bem,que nada nos falta,que estamos cada vez mais próximos de Deus...Mas,quem escolhe esse caminho será surpreendido ao chegar no destino!
Manter o primeiro amor,amar a Deus de “todo o teu coração,de toda a tua alma e todo o teu pensamento” não é algo apenas para os novos convertidos,para os jovens...
É questão de sobrevivência para aqueles que querem andar com Deus.
Analise o seu coração e identifique:Onde está o meu amor a Deus?
Se você perceber que o seu coração se encontra morno ou até mesmo frio,é importante que você se arrependa diante de Deus,volte atrás e peça um avivamento em sua vida.
Peça para que Deus quebre as barreiras da religiosidade e toda a frieza,para que você possa voltar a viver o amor para o qual Ele nos desafia.
Com certeza,Ele irá responder!

Mais do que Palavras, Mostre em Ações!

0 comentários
No capítulo 23 de Mateus, Jesus fala a respeito dos escribas e fariseus. Os fariseus eram um grupo religioso que seguia não somente a lei escrita de Deus, mas também as tradições orais que lhes tinham sido passadas. Eles acreditavam que ambas eram a vontade de Deus.
O povo pensava que se alguém fosse fiel ao Senhor, seriam os fariseus.
Porém, o Senhor vê uma série de erros em seus comportamentos e estes servem para nos ensinar antes mesmo que venhamos a cometê-los.
Mateus 23.1-4
Nos quatro primeiros versículos deste capítulo, o Senhor ressalta algo no comportamento dos fariseus: eles eram grandes professores da Lei, conheciam toda a Palavra e podiam ensiná-la com propriedade.
Mas, não praticavam o que falavam.
Como diz o versículo 4,” Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los”.
Aqueles que amam a Deus não podem ter esse tipo de comportamento.
As nossas ações precisam comprovar o que dizemos. Na realidade, as nossas ações em Cristo Jesus devem falar mais do que as palavras que saem da nossa boca.
Nós precisamos ser exemplos.
Não importa a sua posição na igreja ou na sociedade como um todo.Jesus nos convida para mostrar algo diferente onde vivemos.
Tito 2.7 -8
"Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade,
Linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós."

Paulo recomenda a Tito que seja exemplo em toda a boa obra que fizesse, para que o adversário se envergonhe, não tendo o que dizer.
O desejo de Deus é que nós também envergonhemos o Inimigo com as nossas atitudes, com o nosso exemplo de obediência a Cristo. Se fizermos isso, o diabo não achará nada para nos acusar.
Tiago 2. 17
Tiago fala que a fé sem obras é morta.
Portanto, de nada adianta apenas falar e não praticar aquilo que dizemos.
O maior testemunho que podemos dar a alguém é através das nossas ações.
As nossas ações, a todo o momento, impactam as vidas que estão ao nosso redor.
Charles Finney, um avivalista inglês, dizia que “as nossas ações são como cordas que reverberam pelo universo. Como podemos agir de qualquer maneira sendo que nossas ações ressoam por todos os lados, impactando quem está ao nosso redor?”.
E quais têm sido as nossas ações?
Será que como Paulo diz em I Coríntios 11.1
“Sede meus imitadores, como também eu de Cristo.”
Será que podemos afirmar isso em nossas vidas?
Como tem sido o seu exemplo?As suas ações no dia-dia?
Por vezes,o dia-dia corrido nos leva a deixar de lado a realidade do Reino de Deus e a urgência de sermos aquilo que Deus nos chamou para ser.
Ele nos chamou para ser luz e sal dessa terra,a indicarmos o caminho para Deus e aquilo que O agrada com o objetivo do nome dEle ser ainda mais glorificado (Mt.5.16)
Jesus te chama a levar a boa fragrância dEle por onde quer que você andar.Muito mais do que palavras,em ações.
Jesus quer nos usar para que vidas perdidas vejam a Jesus através de nós.
Que suas ações e palavras possam refletir a imagem dEle neste mundo.
Você quer receber a Cristo em sua vida? Clique aqui.

Quebra de Paradigmas

0 comentários
Deus,através da obra de Jesus na Terra,nos mostrou uma série de valores que muitas vezes consideramos e respeitamos,mas que para Ele são bem diferentes.
Vejamos algumas coisas interessantes na Palavra de Deus:
Na fraqueza,mostra a força (2 Co.12.9)
Do aparente derrotado,formou o eterno vencedor (Fp.2.8-11)
Aos soberbos,abate e os humildes,exalta (I Pe.5.5)
Do servo,faz o maior (Mt.23.11)
Apaga o velho passado e faz tudo nascer de novo.(2 Co.5.17)
Deixou toda Sua majestade para ser o menor servo. (Fp.2.5-7)
Amou aqueles que o desprezavam. (Rm.5.8)
A verdade que brota dEle para muitos parece loucura.(I Co. 1.18)
Os benefícios que vieram por causa do alto preço pago na cruz,são distribuídos gratuitamente.(Ef.2.8-9)
Aquele que perde a vida por amor dEle,encontra-a.(Mt.16.25)
Jesus veio e quebrou paradigmas da religiosidade que nos distancia de Deus.
Quebrou,quebra e quebrará.
Jesus quer abrir os nossos olhos espirituais para enxergar a profundidade da Sua mensagem e o desafio que nos é proposto:
Mt.16.24
"Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;"
Mais alto e também mais estreito são os caminhos para os quais Jesus nos chama a andar.
Porém,sabemos que podemos aceitar este desafio e Ele nos capacitará a cumpri-lo.
Na Páscoa,no Natal,em tempo e fora de tempo,todos os segundos,lembremo-nos de Jesus e busquemos atender o Seu chamado e sermos semelhantes a Ele nesta Terra,sermos os embaixadores do Seu Reino Celestial no nosso país e no nosso mundo.
Você quer receber a Cristo em sua vida? Clique aqui.

Vencendo os Desafios

0 comentários
“Não os temais, porque o Senhor, vosso Deus, é o que peleja por vós”.
Deuteronômio 3.22
Ao longo da nossa vida, enfrentamos desafios de todos os tipos.
Quando somos crianças, enfrentamos o desafio de crescer, o desafio das novidades que a cada dia surgem.
Quando chegamos à juventude, enfrentamos os desafios da independência, as inúmeras escolhas: pela profissão, pela futura esposa ou pelo futuro esposo, as meninas (principalmente) passam horas decidindo qual roupa vestir...
Na vida adulta, os mesmos desafios aparecem. A promoção tão esperada, mas às vezes tão distante, o sonho da casa própria, mas a falta de recursos para obtê-la...
Na velhice, mais desafios: esperar coisas novas para a vida, manter a saúde para ver os bisnetos...
Tantos outros desafios permeiam cada momento da nossa vida a ponto de podermos dizer que nossa vida é formada por eles. São tantos sonhos, planos que enchem o nosso coração, decisões a tomar e muitas vezes, o medo bate: será que superaremos os desafios, será que venceremos as batalhas, será que conquistaremos os nossos objetivos?
Porém, a Palavra de Deus tem uma mensagem encorajadora: não precisamos temer os desafios, não precisamos temer as batalhas, nem diminuir os nossos sonhos, pois temos um Deus que peleja por nós e Ele dará a vitória sobre cada situação.
II Samuel 22.30
“Porque contigo passo pelo meio de um esquadrão, pelo meu Deus salto um muro”
O Deus a quem servimos nos leva a saltar as muralhas das dificuldades, as muralhas que impedem os nossos sonhos de se realizar.
Ele nos leva a situações que, aos nossos olhos, parecem impossíveis de serem concretizadas, pois para Ele nada é impossível.(Lc. 1.37)
Mas o que precisamos fazer para ver esta ação poderosa de Deus por nós?
Salmo 37.4-5
"Deleita-te também no SENHOR, e te concederá os desejos do teu coração.
Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará."

Precisamos nos deleitar no Senhor
Como o Salmista Davi diz em Salmo 16.2
A minha alma disse ao Senhor: Tu és o meu Senhor, não tenho outro bem além de Ti”
Bem sabemos que o Rei Davi era um homem de muitas posses. Ele possuía palácios, mulheres e um exército a seu dispor. Mas, ele sabia que aquelas riquezas não valiam nada sem o Senhor com ele. Ele entendeu que o Senhor era o que mais importava e todas as outras bênçãos partiam do Senhor.
O Senhor precisa ser a nossa fonte de alegria, o nosso prazer, o nosso bem maior. Muito mais do que aquilo que Ele pode nos dar ou deixar de nos dar. Nosso prazer deve ser a Sua companhia, a Sua presença, a Sua Palavra.
Precisamos entregar os nossos caminhos ao Senhor
Não entregamos os nossos sonhos e planos ao Senhor, temendo que Ele modifique tudo aquilo que temos sonhado. Com isso, nos apegamos às nossas próprias vontades e a nossa visão limitada e perdemos o melhor de Deus para as nossas vidas.
Veja quais são os caminhos, os pensamentos que Deus tem a nosso respeito:
Jeremias 29.11
“Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.”
Precisamos nos render ao Senhor. Entregar todos os nossos caminhos, todos os nossos sonhos e projetos pessoais para que Ele venha e faça brotar em nosso coração os Seus melhores sonhos e projetos. Ele quer nos fazer sonhar como Ele mesmo sonha.
Precisamos confiar nEle
Esta parte é a mais difícil: às vezes, nos deleitamos no Senhor e até mesmo entregamos nossos caminhos, mas não confiamos.
E na primeira instabilidade, retornamos para os nossos caminhos e projetos e esquecemos o que Deus nos prometeu que iria fazer.
O povo de Israel passou por diversas situações em que teve de confiar em Deus nas suas batalhas até a Terra Prometida e uma das mais lembradas é a passagem pelo Mar Vermelho.
Ex.14.10-31
O Senhor havia colocado em seus corações o projeto da liberdade. Eles conseguiram sair da terra do Egito, mas o Faraó e seu exército vieram atrás, os pressionando contra o mar Vermelho. Palavras de dúvida se levantaram, porém o Senhor ordenou: ”Dize aos filhos de Israel que marchem”. O Mar Vermelho se abriu e o povo de Israel passou, porém os egípcios, quando tentaram passar, morreram engolidos pelas águas do mar.
Se quisermos ver a ação poderosa do Senhor lutando por nós e nos ajudando a vencer os desafios, precisamos confiar. Não há como vencer a guerra sem confiar Naquele que luta a peleja.
O Senhor quer nos fazer superar os desafios da vida, o Senhor quer nos fazer alcançar os planos e sonhos que Ele tem semeado em nosso coração, o Senhor quer mover impossíveis, mas Ele não quer que você lute com suas próprias forças.
Ele nos direcionará em como devemos agir, como devemos fazer para tomar posse das vitórias que Ele conquistará para nós. Por muitas vezes, teremos que colocar o pé no Mar Vermelho, ir à guerra com 300 homens ou conseguir cinco pães e dois peixinhos para ver o milagre acontecer.
Mas, quem irá lutar, quem fará o milagre é Ele.
Você precisa apenas deleitar-se nEle,entregar os seus caminhos a Ele e confiar.
Quanto à luta, você não precisa temer, Ele lutará por você e como o Guerreiro Invencível que é, te fará muito mais que vencedor.

Como Receber a Jesus Cristo

3 comentários
Quero falar com você a respeito de Jesus.
Porém, quando cito este nome, o que vem a sua mente? Reflita...

Talvez, surjam várias imagens, mas quero te dizer que Jesus é Deus, que se fez homem!

Com que intenção?

Ele veio estabelecer o Seu Reino aqui na Terra e parte disso é religar o nosso caminho até Deus, através de Sua morte na cruz.

Por que isso foi necessário?

Porque o homem desobedeceu a Deus e, em virtude disso, morreu espiritualmente e passou também a morrer fisicamente.

Por causa de sua desobediência, o homem sem Jesus está condenado a passar a eternidade longe de Deus, juntamente com o diabo no inferno. Esse é o lugar daqueles que persistem em viver no erro. Porém, para que houvesse a possibilidade de nos reconectarmos a Deus, era necessário que alguém justo pagasse pelo erro cometido.

Por isso, Deus tomou a iniciativa de solucionar o problema e enviou Seu filho Jesus à Terra. Ele viveu conforme toda a Lei de Deus e morreu na cruz em nosso lugar, pagando o preço de nossos erros. Após três dias, Jesus ressuscitou e subiu aos céus.

Através do Seu sacrifício e ressurreição, recebemos perdão para os nossos erros, iniciamos uma nova vida e recebemos a vida eterna, o presente de estarmos com Jesus no céu durante toda a eternidade!

Então, já estou reconectado a Deus?

Não. Para você participar disso, é necessário crer no sacríficio de Jesus Cristo na cruz e confessar com sua boca esta fé. Não existem palavras certas para dizer...Deus está mais interessado no seu coração do que em suas palavras!
Renda a Ele a sua vida, suas ações. Peça perdão pelos erros do passado e Seu apoio para as ações do futuro.
Chame-o para ser Seu Senhor e Salvador pessoal.
Convide-o a tomar conta da sua vida e a direcioná-la e moldá-la da maneira que O agrada.
Não é necessário nenhum pagamento, é tudo gratuito para você! Jesus já pagou todo o preço!
A partir daí, você iniciará uma nova vida e é importante que você aprenda a respeito dos caminhos que Jesus tem para nós, caminhos esses que conduzem a uma vida abundante.
Para isso , cultive o hábito de conversar com Deus através da oração e leia a Bíblia, nem que seja apenas um capítulo ao dia! Além disso, procure uma igreja evangélica onde existam pessoas dispostas a ensinar a Bíblia Sagrada a você!

Estamos à sua disposição para contato! Mande um e-mail para d.gustavo@bol.com.br .

Precisamos de Jesus

0 comentários
Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também."(Ef.2.3)
De tão acostumados que somos com nossas atitudes, nem percebemos como nossa natureza carnal é má.
Muitas ações que tomamos no dia-dia e os acontecimentos ao redor do mundo refletem essa realidade.
Andando pelas ruas, percebemos a insensibilidade quando passamos por cima de pessoas maltrapilhas, jogadas no chão e não sentimos nada diante daquela situação.
Podemos notar o egoísmo quando acumulamos em nosso armário roupas que não usamos há tempos e que não nos servem mais, mas poderiam vestir bem outras pessoas.
Ao redor do mundo, vemos guerras sendo movidas pela ganância e pela falta de perdão. Em meio à crise mundial, ouvimos notícias de bancos falindo e deixando milhares de pessoas desempregadas e outras tantas perdendo o dinheiro investido enquanto os principais executivos, ganham bônus multimilionários.
A nossa natureza é arrogante, prepotente, busca apenas os próprios interesses.
A Bíblia diz em Romanos 3.23:
“Todos pecaram e carecem da glória de Deus”.
De fato, somos pecadores. De fato, nossa natureza é má.
Corremos atrás das coisas deste mundo e até mesmo as alcançamos, porém permanecemos precisando de mais. Somos donos de muitas coisas, porém escravos de nós mesmos: precisamos fazer mais fortuna, conseguir mais sucesso,estamos em busca de algo que nem sabemos bem o que é.
Há um vazio nos interiores, que o dinheiro,fama,bens não consegue saciar.
Existem corações aprisionados que as chaves deste mundo não conseguem libertar.
A chave para a liberdade em nossa vida e em nossa sociedade é Jesus.
Precisamos de Jesus para nos libertar da nossa natureza pecadora e nos renovarmos com a realidade de Deus.
"Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte." (Rm.8.2)
Precisamos de Jesus para preencher o nosso coração e trazer a paz e alívio que nada neste mundo pode comprar.
"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei."(Mt.11.28)
Precisamos de Jesus em nossas vidas para nos preocuparmos mais com o nosso próximo, para aprendermos sobre o que é partilhar.
"E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo." (Mc.12.31)
Precisamos de Jesus em nossa sociedade para vivermos em paz.
“Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio,” (Ef.2.13-14)
Não falo de um Jesus associado a religiões;não falo de um Jesus distorcido pela vontade dos homens,mas daquele que é pregado na Bíblia:um homem compassivo,que amava os que estavam ao seu redor e que deu a Sua vida por amor,para que nós tivéssemos a chance de viver algo diferente.
Jesus te chama para viver uma vida nova.
Não importa o seu passado nem o seu presente. Não importa o quanto você construiu até agora em sua vida ou aquilo que você destruiu.
Ao se decidir por Jesus, uma nova vida começará.
A chance de escrever uma nova história, começar uma nova caminhada, cheia de paz em lugar da opressão, transbordando amor em lugar do egoísmo.
Precisamos conhecer mais a Jesus, deixarmos que Ele aja em nós e faça da nossa vida a sua semelhança.
Aprender a decidir por Jesus e aquilo que O agrada todos os dias.Precisaremos rever muitas coisas, mas não será pela nossa força e sim pela Sua graça e poder.
Precisamos de Ti,Jesus.Mais da Tua verdade,do Teu amor e poder em nossa vida e no nosso mundo.Tu és a nossa esperança!
Você quer receber a Cristo? Clique aqui.

Decisões sob Estresse

0 comentários
Estresse é uma palavra muito ouvida em nossa sociedade.
Segundo o dicionário Aurélio, estresse é “um conjunto de reações do organismo a agressões de origens diversas, capazes de perturbar-lhe o equilíbrio interno”.
A pressão do ambiente em que vivemos, unida com o cansaço físico e mental, deixa-nos estressados.Outras vezes, alguma tragédia ou mudança drástica ao nosso redor, como perder o emprego ou um ente querido, também nos deixa estressados.
O grande problema é que apesar de estarmos estressados, nossa vida continua. E a vida é formada por inúmeras decisões que tomamos.
Desde a mais importante, receber a Jesus Cristo como Senhor e Salvador, até as mais corriqueiras, as decisões não param de brotar a nossa frente, aguardando a nossa escolha e ação.
E quando estamos estressados, a chance de tomarmos uma decisão prejudicial a nós e desagradável a Deus é muito maior.
Na Bíblia, temos vários exemplos de pessoas que precisaram tomar decisões em momentos estressantes.
Algumas delas foram tomadas precipitadamente, resultando em desgraça e prejuízo; outras decisões, apesar das pressões, acabaram sendo corretas.
Por exemplo, Jonas.Ele foi chamado por Deus para pregar em Nínive, um povo inimigo de Israel e tomou a decisão de fugir, colocando em risco sua própria vida e de outras pessoas.(Jn.1)
Pedro, em meio ao estresse da prisão de Cristo, acabou por negar a Jesus três vezes (Mt. 26.69-75).
Mas, também podemos citar o exemplo de Davi, que teve duas oportunidades seguidas para matar o rei Saul, seu perseguidor, mas mesmo sendo incentivado pelos seus amigos, entendeu que não deveria fazer justiça com as próprias mãos, mas Deus faria por Ele.(I Sm.24 e 26)
O que fez esses homens de Deus tomarem decisões tão diferentes em períodos de estresse?
O que podemos fazer para tomarmos decisões mais acertadas em momentos que estivermos pressionados?
Olhe a Palavra - Precisamos olhar as promessas de Deus, aquilo que Deus tem falado conosco e nos prometido.Nos momentos de estresse, por vezes, queremos tomar decisões rápidas e nos esquecemos de todas as palavras que Deus nos disse.
Assim, acabamos tomando decisões sem nos basear na direção proposta por Deus.
Precisamos manter a Palavra e as promessas bem vivas na nossa memória.Devemos seguir o conselho de Deuteronômio 11.18-20:
“Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma, e atai-as por sinal na vossa mão, para que estejam por frontais entre os vossos olhos. E ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te; E escreve-as nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas;”
A Palavra nos lembra daquilo que Deus tem prometido a nós.E a própria Palavra diz em II Coríntios 1.20:
“Porque todas quantas promessas há de Deus, são nele sim, e por ele o Amém, para glória de Deus por nós”.
Escute - É importante ouvirmos a voz de Deus para tomarmos decisões.Acalmarmos o nosso coração para entender qual é a direção que Deus quer nos conduzir.
Em I Samuel 30, Davi e seus homens retornavam para sua cidade, Ziclague, após terem sido dispensados da batalha pelo rei Aquis, dos filisteus.Eles lutariam contra Israel, porém os príncipes filisteus concordaram que Davi não deveria lutar aquela batalha ao lado dos filisteus.
Ao chegarem a Ziclague, encontram uma cidade em ruínas.Seus filhos e mulheres foram levados cativos.Davi e seus homens, ao verem aquela situação, choram até esgotar as forças(I Sm.30.4).
Em meio a essa situação deprimente, vozes de rebelião se levantam, sugerindo apedrejar a Davi(I Sm.30.6).
Mas, Davi, em meio aquela situação extremamente estressante, decide buscar a direção de Deus sobre o que deveria fazer:

“Disse Davi a Abiatar, o sacerdote, filho de Aimeleque: Traze-me aqui o éfode. E Abiatar trouxe o éfode a Davi.
Então consultou Davi ao Senhor, dizendo: Perseguirei eu a esta tropa? alcançá-la-ei? Respondeu-lhe o Senhor: Persegue-a; porque de certo a alcançarás e tudo recobrarás.”

I Samuel 30.7-8
Assim, devemos fazer também!
Mesmo em meio às dificuldades mais intensas, escutar a direção de Deus para o próximo passo.
Deus tem colocado ao nosso redor pessoas que amam a Ele e que podem nos aconselhar.Em momentos estressantes, acabamos tomando decisões rápidas ou então, ouvindo a opinião de qualquer pessoa ao nosso redor.

Provérbios 24.6
diz: ”Com conselhos prudentes tu farás a guerra; e há vitória na multidão dos conselheiros.”
Portanto, devemos escutar a Deus e aos conselheiros que Ele tem colocado ao nosso redor, pessoas que O amam.
Se olharmos a Palavra de Deus e escutarmos Sua voz e os conselhos de quem Ele colocou ao nosso redor, teremos decisões mais acertadas em todos os momentos, principalmente nos que estivermos estressados.
Por isso, olhe e escute!
Tome a decisão dirigida por Deus.

Remindo o tempo,contando os dias...

0 comentários
Em nossas vidas,temos um recurso extremamente limitado:o tempo.
Vinte e quatro horas por dia parecem pouco para cumprir as responsabilidades diárias que temos.
Quantas vezes nos percebemos dizendo:-"Não tenho tempo para nada!"
O maior problema é que não sabemos identificar onde investimos os nossos preciosos minutos.
Por vezes,perdemos tempo em situações fúteis e que até nos incomodam e deixamos áreas importantes e necessidades que julgamos importantes de lado.
Como somos capazes de utilizar nosso principal recurso ,tão precioso e escasso,de maneira inconsequente e irresponsável!
A Bíblia nos orienta a cuidarmos da utilização do nosso tempo.
Paulo diz em Efésios 5.15-16 :
"Portanto,vede prudentemente como andais,não como néscios,mas como sábios,remindo o tempo,porquanto os dias são maus"
Moisés,no Salmo 90.12,faz o seguinte pedido a Deus:
"Ensina-nos a contar os nossos dias,para que alcancemos corações sábios".
Existem duas áreas que precisamos prezar na administração do nosso tempo,situações fundamentais da vida que afetam a totalidade das nossas ações se não estão caminhando bem.
Para priorizar essas áreas,vale a pena renunciar quaisquer outros compromissos.
São elas:
Relacionamento com Deus:Nada no mundo vale mais do que manter um relacionamento com o nosso Senhor. E, para isso, precisamos investir tempo em oração, na leitura e meditação da Palavra de Deus.
Somos capazes de desperdiçar tempo em muitas coisas, mas ficamos desgostosos e incomodados quando ouvimos sobre a necessidade de investir mais tempo com Deus.
Friso 'investir', pois o retorno do nosso relacionamento com Ele traz muito mais do que poderíamos receber em qualquer outro lugar:"...amor,paz,alegria,longanimidade,benignidade,bondade,fé,mansidão e domínio próprio" (Gl.5.22)
O desenvolvimento do relacionamento com Deus precisa ser prioridade absoluta na utilização do nosso tempo.
Relacionamento com a Família: Corremos muito atrás de suprimentos para saciar as necessidades dos nossos queridos,alguns de nós procuram obter sucesso e reconhecimento para que a família sinta-se orgulhosa e, por vezes, esquecemos do mais simples e necessário: estar com eles, conversar, passar tempo juntos...
Esse 'investimento' traz retornos inesquecíveis para quem o faz.
As marcas mais importantes que alguém pode deixar na vida de outra pessoa não são aquelas compradas por dinheiro,mas as que são produzidas como resultado da convivência.
Vale a pena renunciar a muitas atividades para investir tempo nessas duas áreas.
Analise a utilização do seu tempo e aprenda a utilizá-lo naquilo que mais importa.
Os benefícios serão incalculáveis.

O Bálsamo de Gileade

0 comentários
Na corrida da vida, é impossível viver sem que passemos por alguma situação que machuque nosso coração.
Queiramos ou não, sempre existirão momentos em que seremos machucados por alguma ofensa, incomodados por alguma palavra mal colocada e desapontados pelo comportamento de outra pessoa.
Porém, Deus, na Sua eterna graça e misericórdia, previu isso e preparou um remédio para curar as feridas que surgirem durante a nossa jornada.
Deus nos disponibilizou o bálsamo de Gileade.
Em Jeremias 8.21-22, o Senhor diz :"Estou quebrantado pela ferida da filha do meu povo; ando de luto; o espanto se apoderou de mim.Porventura não há bálsamo em Gileade? Ou não há lá médico? Por que, pois, não se realizou a cura da filha do meu povo?"
Segundo pesquisas,o ‘bálsamo de Gileade’ era a seiva de uma árvore que cresce naquela região. É uma substância branca, viscosa, que depressa se coagula, e é de valor para cura de inflamações.
Deus queria curar o povo de Israel e também quer nos curar hoje,não apenas físicamente,mas restaurar os nossos corações,o nosso íntimo.
Ele ministra o seu bálsamo curador através da ação do Espírito Santo em nossas vidas.
Talvez,você carregue consigo um coração cheio de feridas abertas e profundas. O dia-dia é duro, os rancores e ressentimentos se acumulam e não há liberação de perdão.
Deus não nos criou para viver machucados e marcados por problemas do passado. Ele nos criou para viver uma vida em abundância (Jo.10.10).
Se você encontra-se magoado, ferido, permita que o Espírito Santo ministre cura em seu interior e volte os seus olhos para tudo o que Deus quer fazer EM você e ATRAVÉS de você.
Você foi criado em Jesus para boas obras (Ef.2.10), por isso não é desejo de Deus que tristeza alguma abale a sua vida a ponto de matar os seus sonhos e esperança quanto ao futuro.
Receba cura de Deus e seja fortalecido para viver os mais altos pensamentos do Senhor para sua vida!

Creia em um Deus de Milagres!

0 comentários
O mundo em que vivemos nos pressiona a pensar de modo sempre muito racional.
Para encontrar as soluções dos nossos problemas, para planejar o nosso futuro, para agir em todas as circunstâncias, somos orientados a imaginar dentro das possibilidades, a traçar os caminhos viáveis e descartar aquilo que parece ser inviável.
Não que isso seja de todo ruim, você deve usar a sua racionalidade para propor soluções e planejar (afinal, ela foi dada por Deus para isso!), mas apequenamos o nosso campo de visão quando olhamos apenas para nós e aquilo que podemos fazer.
Uma situação desse tipo é relatada na Bíblia e aconteceu com o povo de Israel.
Em Números 13,Deus orienta Moisés a enviar espias para Canaã,a terra que Deus havia prometido,para analisarem o fruto da terra e conhecerem o seu povo.
São enviados doze espias e estes passam quarenta dias conhecendo aquela terra,percorrendo todo o seu território,a fim de preparar o relatório que deveria ser repassado a Moisés.
Ao final destes dias, os espias voltam e todo o povo de Israel se reúne para ouvir as impressões que aqueles homens tiveram a respeito da Terra Prometida.
Vamos ver qual foi o relatório de dez dos doze espias:
“E contaram-lhe, e disseram: Fomos à terra a que nos enviaste; e verdadeiramente mana leite e mel, e este é o seu fruto.
O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso, e as cidades fortificadas e mui grandes; e também ali vimos os filhos de Anaque.
Os amalequitas habitam na terra do sul; e os heteus, e os jebuseus, e os amorreus habitam na montanha; e os cananeus habitam junto do mar, e pela margem do Jordão.
... Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós.
E infamaram a terra que tinham espiado, dizendo aos filhos de Israel: A terra, pela qual passamos a espiá-la, é terra que consome os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura.
Também vimos ali gigantes, filhos de Anaque, descendentes dos gigantes; e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos.”
Números 13.27-29,31-33
O relatório passado por esses dez espias é preciso a respeito da situação daquela terra,porém a conclusão, “Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós”,foi originada de mentes apequenadas pela racionalidade e de um raciocínio que leva em conta apenas aquilo que os olhos conseguem enxergar e as mãos,apalpar.
Costumamos agir assim em nossa vida.Na maioria das vezes,as nossas deduções seguem a mesma linha dos dez espias.Enumeramos razões que nos impedem e a solução mais obvia é desistir dos sonhos,ou então,ser engolido pelos problemas.
Deus quer despertar o nosso coração e mente para uma outra realidade,que dizemos conhecer e crer,mas que as nossas atitudes acabam revelando o contrário.
A verdade de que nós cremos em um Deus de milagres!
Um Deus que não tem em seu vocabulário as expressões;”Não posso”,”Não tenho” e “Não consigo”.
Um Deus para quem “...Nada é impossível(Lucas 1.37).
E era nesse Deus que acreditavam os outros dois espias de Números 13: Calebe e Josué.
Em meio à conclusão racional que os outros dez espias repassaram, Calebe toma a palavra e diz:
“Então Calebe fez calar o povo perante Moisés, e disse: Certamente subiremos e a possuiremos em herança; porque seguramente prevaleceremos contra ela.”(Números 13.30)
E em Números 14.8:
Se o SENHOR se agradar de nós, então nos porá nesta terra, e no-la dará; terra que mana leite e mel.
Calebe e Josué em nenhum momento discordaram do relatório passado pelos dez espias a respeito da Terra Prometida e nem das dificuldades que enfrentariam, porém eles abriram suas mentes para algo além do racional:a fé no Deus que havia os livrado do Egito,abrindo o Mar Vermelho para que eles passassem,a fé no Deus que supria as suas necessidades no meio do deserto,a confiança em um Deus que havia prometido uma terra a eles,a fé em um Deus de milagres.
Precisamos disso em nossa vida também!
Não podemos viver a nossa vida dentro do nosso raciocínio limitado.Precisamos abrir a nossa mente para ver além do que os nossos olhos enxergam e encontrar um Deus que está disposto a mover milagres na nossa história.
Um Deus que nos leva sempre além daquilo que imaginamos,um Deus que tem pensamentos mais altos que os nossos pensamentos (Isaías 59.5)
Permita-se conhecer e crer VERDADEIRAMENTE nesse Deus de milagres.Não apenas de boca e raciocínio,mas com todo o coração e em fé. Você verá coisas que nunca imaginou.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...